Noticias via telégrafo

Publicado em: 09/02/2009

Num tempo de raros redatores especializados em textos para rádio, as notícias eram redigidas sem os cuidados necessários para facilitar a leitura pelo locutor. Esses textos que deveriam ser produzidos com frases curtas, para facilitar a respiração e interpretação, nem sempre eram assim. As noticias locais, em parte vinham dos releases enviados por órgãos da administração pública e as nacionais e internacionais, chegavam via telégrafo. Em Curitiba a fonte de informação nacional e internacional para as emissoras de rádio era o radiotelegrafista Orlando Alberti, uma figura simpática e muito estimada nos meios radiofônicos. Alberti recebia as notícias pelo telégrafo e passava para seu filho Dante que se ocupava da tarefa de fazer as cópias em mimeógrafo e distribuir para a clientela formada por quase todas as rádios locais.

Orlando Alberti trabalhou de 1937 a 1968 realizando esse serviço fundamental para o jornalismo radiofônico da época. Algumas emissoras  que apresentavam programas noticiosos de hora em hora e grandes jornais, mantinham um serviço de “rádio-escuta para aumentar o volume de matérias a serem apresentadas.

Eram gravados os noticiários transmitidos por emissoras de outras capitais, como as rádios Tupi, Nacional e Rádio Mayrink Veiga do Rio de Janeiro; Tupi e Bandeirantes de São Paulo; Diário da Manhã e Guarujá de Florianópolis e as rádios Gaúcha, Farroupilha e Guaíba de Porto Alegre. Os responsáveis pelo ”rádio-escuta“ reforçavam o noticiário das emissoras locais dando ao ouvinte um panorama mais completo do que acontecia no país.

Por falta de repórteres para realizar a cobertura dos acontecimentos locais, o noticiário nacional e internacional, recebia maiores espaços nos programas jornalísticos. Em Curitiba,  ficaram famosos os programas de noticias transmitidos pelas emissoras da cidade.

Na Rádio Clube Paranaense o ”Prosdócimo Informa“, apresentado pelo correto e excelente locutor Milton Luiz Pereira.  Na Rádio Guairacá, “Correspondente Minerva” com Júlio Xavier Vianna e Ivan Cury; na Rádio Colombo, “Repórter Âncora” com César Navarro e na  Rádio Cultura o “Grande Jornal Cultura”,durante muito tempo, líder de audiência, apresentado por Souza Miranda, Mauro de Alencar, Ciro César e Jamur Junior.

Nesse tempo os locutores de noticiários eram muito disputados pelas emissoras de rádio. Esses programas conferiam prestigio e credibilidade e para isso era necessário  um apresentador, com boa voz, boa leitura, ritmo e vibração.

Os noticiários de curta duração seguiam o modelo do “Repórter Esso” e muitos locutores procuravam imprimir o tipo de locução do extraordinário gaúcho Heron Domingues, o mais famoso locutor de noticias da história do rádio brasileiro.

Do livro Sintonia Fina

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *