O estilo povão de fazer rádio

Publicado em: 23/11/2008

Segundo institutos nacionais de opinião pública, a maior parte dos ouvintes de rádio é de jovens, entre 20 e 29 anos; a maioria mulheres de classe média baixa.
É bem provável que por isso as rádios populares fazem tanto sucesso: são animadas, com locutores dinâmicos e tocam o que o povo gosta. Não que as rádios de outros segmentos não possam fazer sucesso, mas as “populares”, com certeza, abocanham a maior fatia do mercado.

Como seria uma programação de sucesso em uma rádio popular? Vamos detalhar agora um modelo desse tipo de programação.

Primeiramente, a locução desse tipo de rádio deve ser simpática, descontraída, curta e objetiva.

A cada duas músicas, é interessante o locutor entrar no ar com alguma intervenção do tipo: notícia local, notícia esportiva, hora certa, participação do ouvinte, horóscopo, resumo d enovela, previsão do tempo, temperatura, fofocas de artistas, agenda de eventos, manchetes de jornais, manchetes da internet, datas comemorativas, direitos do cidadão, serviço de utilidade pública e outras coisinhas desse tipo que agradam o perfil de público definido no primeiro parágrafo.

A programação do tipo popular deve ter um programa com músicas do estilo moda de viola antes das oito horas da manhã, um programa animado com brindes e participações logo depois, músicas mais tranqüilas para a hora do almoço, retornando com animação durante toda à tarde e fechando com uma seleção musical das preferidas dos ouvintes.

À noite, após o programa obrigatório do governo, a Voz do Brasil, pode-se animar os ouvintes com músicas embaladas ou um programa totalmente interativo. Depois das 22 horas é bom voltar a acalmar, com músicas e recados românticos.

Um tempo ideal para o intervalo comercial para não irritar o ouvinte é, em média, de quatro minutos de publicidade para cada 20 minutos de música, isso em horário comercial. Nos outros horários, pode ser de três minutos de intervalo comercial para cada 30 minutos de bloco musical.

O espaço comercial pode ser intercalado com vinhetas e chamadas da rádio para identificação e quebra de seqüências cansativas de comerciais. É interessante também inserir piadas e brincadeiras ao vivo, entre os spots.
Normalmente uma rádio popular faz sucesso em qualquer região do Brasil, com raras exceções. Mas para não ter erro: entenda bem o que você faz e para quem você faz, para fazer sempre o melhor.

O autor é publicitário, especialista em Rádio e TV, autor do livro “Você Nunca Ouviu Nada Igual”. Blog: http://vocenuncaouviunadaigual.blogspot.com

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *