O exemplo de Baden Powell

Publicado em: 15/10/2011

As histórias que nos contaram sobre Baden Powell diziam que chegado à Inglaterra, de volta do seus serviços nas Tropas Militares Coloniais, o fundador do escotismo encontrou um cenário terrível, pior talvez do que vivem alguns países atualmente. Por volta de 1900, com o Império Britânico com graves problemas econômicos em razão das desgastantes guerras coloniais e consequentemente, a perda de milhares de vidas jovens nos confrontos das colônias africanas, asiáticas e americanas (tinha perdido os Estados Unidos sua maior e mais rica colônia).
Os reflexos dessas derrotas e ainda os constantes riscos de novos confrontos na própria Europa – e com os graves problemas com a Escócia e Irlanda – somados aos sintomas de um grande conflito mundial como de fato aconteceu, a Inglaterra já não era o “tão Reino Unido”,c omo se auto denominava, mas um poderoso império em vias de desagregação total.
Esse era pois, o cenário que em parte vemos atualmente: corrupção, banditismo, auto estima a zero, e, um povo antes sorridente, agora macambúzio, triste e com elevados índices de violência em todos os níveis.
Mesmo assim, ou talvez por isso, Baden Powell tenha se inspirado nos princípios que sempre nortearam sua vida para fundar um movimento com as características que se tornaram únicas numa sociedade ainda carente de referências universais.
Esses pensamento me vêm à mente quando, depois de 50 anos de silêncio voluntário, tenho a oportunidade de falar dos ideais que inspiraram minha juventude e me permitiram chegar aos dias atuais com a consciência tranquila. E, ao mesmo tempo, porque percebo ser ainda possível recuperarmos a bela imagem do movimento escoteiro como uma instituição respeitada e querida.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *