O manezinho que nasceu ao contrário

Publicado em: 10/01/2006

Pois este é o segundo livro que nasce da inventiva de Luiz Aurélio Batista em menos de quatro anos. O primeiro – Você é das Antigas? – lançado em 2001, como diria Aldírio Simões, estourou a boca do balão e já está na terceira edição. Aliás, o Manezinho tem tudo para seguir o mesmo caminho, pois está recheado de personagens reais como o próprio Aldírio, mais o Dakir Polidoro, o Miguel Livramento e o Roberto Alves.
Os editores

Por estas e outras razões que você conhecerá daqui pra frente, o Instituto Caros Ouvintes se sente muito feliz em apadrinhar mais este lançamento literário que também faz parte da história do nosso rádio. Fique de olho neste mané – Luiz Aurélio Baptista – e no seu fantástico Leopoldo -, personagem central de uma trama absolutamente delirante.

O Manezinho que nasceu ao contrário
Misturando estória com história, o novo livro é, ao mesmo tempo, uma aventura e um romance. Na verdade, o grande objetivo do trabalho é homenagear os manezinhos da ilha, buscando registrar, de uma forma diferente e agradável, através da incrível trajetória de vida do principal personagem, fatos e pessoas presentes nas páginas de Florianópolis, desde 1926.

O Administrador Luiz Aurélio Baptista, nasceu em Florianópolis em 1957 e desde 1980 tem exercido cargos de chefia em empresas públicas e privadas. Atualmente é diretor administrativo da empresa Dígitro Tecnologia Ltda. Apaixonado pela história de Florianópolis, reserva suas horas vagas à garimpagem de velhas imagens e fatos que transportam os florianopolitanos para um passado gostoso de lembrar. Tecladista, em 1999 montou, junto com amigos músicos da ilha, a banda Dasantigas, atualmente, um dos grupos musicais de maior sucesso em Santa Catarina.  Em 2001, escreveu o seu primeiro livro chamado Você é Dasantigas? que, para surpresa de todos, teve três edições.

A banda Dasantigas, composta por treze músicos, busca, em seus shows, transportar o público para um verdadeiro túnel do tempo, lembrando através de músicas e imagens, os anos cinqüenta, sessenta e setenta.


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *