O nascimento da televisão do Paraná – 39

Publicado em: 08/01/2010

Seria imperdoável deixar de fazer aqui um registro sobre a TV Paraná, Canal 6, dentro do que me foi possível acompanhar do seu trabalho, já que ela deixou, igualmente, em nosso Estado, a sua marca de pioneirismo. O surgimento da TV Paraná, integrante da então poderosa cadeia dos Diários e Emissoras Associados, incentivou, sobretudo, uma saudável disputa entre as emissoras e os profissionais que então as compunham.
Assim, sendo se não me é possível enumerar todos os valorosos elementos que construíram, com seu trabalho, a história do velho Canal 6, acredito que, ao citar pelos menos alguns nomes, estarei homenageando toda a equipe, que, por certo, merece lembrança e respeito de todos nós.

A TV Paraná, Canal 6, foi fundada poucos meses depois da TV Paranaense, em dezembro de 1960. Também teve seu início num local pouco apropriado para televisão, mas que, ainda assim, ofereceu a possibilidade de boas realizações, em função, principalmente, do espaço vertical que dispunha, uma vez que a área era quase equivalente à inicial do Canal 12, além de estar com equipamentos de boa qualidade. E, como aconteceu conosco, as deficiências existentes e os obstáculos encontrados, durante o período de aprendizado, deram a direção para novas soluções.

Sofrendo dos mesmos males que a TV Paranaense, em relação ao espaço de trabalho, a TV Paraná resolveu investir na construção de uma sede própria. E, em dezembro de 1967, passou a operar no seu estúdio, no bairro das Mercês, construído com todos os requintes de uma bem estruturada emissora de televisão. Integrante das associadas pode contar com a experiência das primeiras estações da grande rede, bem como com o uso de equipamentos profissionais, compatíveis para a época, o que lhe valeu uma segura qualidade de transmissão. E, ainda que não tivesse revelado tantos acontecimentos novos, aproveitou muitos profissionais vindos do rádio e do teatro. Teve um forte peso no jornalismo pela ligação (e proximidade) com o jornal Diário do Paraná, uma as mais importantes escolas de jornalismo no Estado, administrada por Aderbal Gaertner Stresser. Com um espírito empresarial, enfrentou todos os problemas e muito ajudou a desenvolver o comércio local.

Ao mesmo tempo, o Diário do Paraná deixou as suas instalações da Rua José Loureiro, transferindo-se para o pavimento térreo de um edifício na esquina das ruas Lourenço Pinto com Andrade de Barros. Mas, as mudanças exigiram muitos recursos financeiros e isso acabou abalando as estruturas da organização. Com o falecimento do presidente Aderbal Stresser, o jornal não resistiu a uma administração isolada e o grande e formidável estúdio d TV Paraná, no bairro das Mercês, sofreu adaptações para acomodar o jornal.

As providências, no entanto, não foram suficientes para manter estáveis as empresas, em condições de disputar o mercado. Assim, gravemente afetada, a TV Paraná não teve outro caminho senão tentar transferir a sua propriedade e comando para outros empresários, a fim de se libertar dos altos custos financeiros. A exigência de investimentos elevados num período de alteração de mercado e mudanças nos valores financeiros acabou por atropelar a caminhada da emissora e ela teve o mesmo destino da TV Paranaense, passando para outras mãos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *