O Pioneiro Capuchon

Publicado em: 26/10/2013

Estimulado pela criação do 1º FISC, procurei meu mestre Zuvaldo Ribeiro e o convidei para compormos algo para participar do festival; eu tinha acabado de compor “Voa Urubu”, com influências de Carlos Santana (muita percussão e pouca letra) e “El Zorro”, inspirado no flamenco.

Gravador K7 Philips

Gravador K7 Philips

Juntos, Zuvaldo e eu escrevemos “Leda” e “Grossa”, duas gravadas em K7 no estúdio da AS Propague de Antunes Severo, e duas na Public (empresas de publicidade, que tinham invejáveis gravadores de quatro pistas, o Akay 4000DS) e as inscrevemos no festival.

Soubemos que um dos jurados era o DJ (na época se dizia “sonoplasta”) “Índio” Egeu, que trabalhava num boliche e casa de shows da Rua Almirante Lamego (Bolishow). Pelo Egeu ficamos sabendo que a fita K7 havia sido danificada numa das audições prévias do corpo de jurados e que mal conseguiram ouvir as duas primeiras. Por insistência do Egeu, classificaram “Voa Urubu”, a primeira música da K7 e a única que conseguiram ouvir uma parte, antes da fita apresentar problemas.

Começamos a ensaiar na casa do Zuvaldo e depois, a convite de Orlando Santos da Silva – o Landinho, que estava começando a tocar violão, passamos a ensaiar na casa dele.

Como pensávamos em dar continuidade ao trabalho da dupla, além das composições próprias, trabalhamos alguns Beatles e Mutantes para complementar o repertório.

Quando passávamos “If I Feel”, ouvimos uma voz feminina que vinha de uma das peças da casa e julgamos ser da mãe do Landinho, que costumava cantar serestas com seu esposo, ótimo violonista. Para minha grande surpresa, quem cantava era a Neusa, irmã do Landinho, que imediatamente incorporamos ao grupo.

Ao atender nosso convite, formamos “A Plebe”, onde Zuvaldo fazia a guitarra; eu, o baixo e Neusa os vocais.

Na corrida para fazer “lobby” na rádios locais, encontramos um trio que complementava a formação ideal para um grupo musical: O Capuchon era formado por Sávio José (violão e voz), Nilo Sergio Aguiar e Jorge Serafim (percussão e vocais). Resolvemos nos unir para apresentar “Voa Urubu”, “Manga”, e “Primeiro de Abril” no dito festival.

Nos ensaios no Teatro Álvaro de Carvalho, encontramos outros músicos iniciantes que solicitaram nossa ajuda em suas composições, tanto nos arranjos como nas interpretações e, quando paramos para pensar, vimos que estávamos participando, direta ou indiretamente, de 12 das 30 canções selecionadas para a fase classificatória.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *