O rádio dolente e poético de antigamente

Publicado em: 18/05/2008

No início da década de1960 chegou a Blumenau um cantor chamado Avandiê de Oliveira, cujo nome artístico, Príncipe Negro, fazia alusão à cor escura da sua pele.
 Por Carlos Braga Mueller

Avandiê conseguiu com a direção da PRC-4, Rádio Clube de Blumenau um espaço para apresentar um programa ao vivo.
Bastava um violão e sua voz para colocar o programa no ar. Como eu era o locutor do horário.  Príncipe Negro convidou-me então para escrever e ler uma introdução às suas canções.
Era mais ou menos assim:
– Você escreve duas ou três frases e dá uma deixa para a música “Eu sonhei que tu estavas tão linda”, certo?
Então, a cuca tinha que entrar em ação. Era música romântica, seresta, poesia pura… Tinha que criar alguma coisa. E eu escrevia rapidinho, pouco antes do programa ir para o ar:
– A noite estava chegando. Cansado, pensando em ti minha doce namorada, deitei-me. E então, ao fechar os olhos, eu SONHEI … “
E então, Príncipe Negro entrava cantando:
“Eu SONHEI que tu estavas tão linda,
Numa festa de raro esplendor,
Teu vestido de baile, lembro ainda,
Era branco, todo branco, meu amor !”
Esta letra é uma verdadeira poesia do lendário Lamartine Babo, e acoplada à música, de Francisco Mattoso, mexia com os sentimentos de todos nós (ainda mexe, não é?).
Dedilhando o violão,  Avandiê continuava cantando (ou recitando ?):
“A orquestra tocou umas valsas dolentes,
Tomei-te aos braços, fomos dançando,
Ambos silentes…
E os pares que rodeavam entre nós,
Diziam coisas, trocavam juras, à meia voz,
Violinos enchiam o ar de emoções,
E de desejos, uma centena de corações…”
 
O programa acabava ficando bonito, recebia telefonemas, elogios.
E quando a inspiração não vinha para fazer uma introdução, o jeito era recorrer a uma verdadeira bíblia poética: os livros de J.G. de Araújo Jorge.
As estrofes de “Eu Sonhei que tu estavas tão linda” terminavam assim:
“Pra despertar teu ciúme,
Tentei flertar alguém,
Mas tu não flertaste ninguém,
Olhavas só para mim,
Vitória de amor cantei,
Mas foi tudo um sonho… Acordei !”
Sobre o cantor Avandiê de Oliveira, ele fundou naquela época (anos 1960) uma entidade chamada UCHIC – União Catarinense dos Homens de Cor. Entre os sócios fundadores lá estavam nomes como o do radialista Nilton Simas (o Negão, hoje morando em Gaspar); do então Prefeito de Blumenau, Hercílio Deeke; do bispo de Rio do Sul, D. Tito Buss; e tantos outros, entre os quais o meu nome, por ser amigo de Avandiê.
A entidade visava defender os direitos dos negros e realizou muitas promoções sociais, inclusive a eleição da Miss Mulata.
Príncipe Negro foi morar, depois, em Balneário Camboriú e ainda participei de um evento que ele organizou lá. Depois o perdi de vista.
Link Relacionado
Áudio – Sonhei que tu estavas tão linda


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *