O rádio poderá transformar-se, mas nunca irá acabar

Publicado em: 10/10/2010

Há quase 10 anos, em Genebra, Thomas Hilley, da União Internacional de Telecomunicações, fez um discurso de certa forma profético em relação ao futuro do rádio. Escolhi alguns trechos que considero muito úteis para reflexão de ouvintes e radiodifusores, Afirmou ele: “O rádio terá que encontrar uma forma de equilibrar ciência e tecnologia com desenvolvimento humano e economia. Nenhuma emissora de rádio transmite os seus sinais sem que existam interesses econômicos e políticos. Existe uma situação que deve ser observada: o poder político da massa que ouve essas emissoras. Nenhuma estação de rádio internacional manterá os seus serviços no ar pelo simples prazer de transmitir, mas isso não quer dizer que essas emissoras não tenham que cumprir com as suas obrigações.

Informar de forma séria e coerente é o mínimo que todas as emissoras precisam oferecer. Tudo o que houver acima disso, é lucro. As grandes audiências, bem como as pequenas, não devem ter medo do seu relacionamento com as emissoras. O que ocorre algumas vezes, é que por falta de afinidade entre as partes, tanto os ouvintes, quanto as emissoras, deixam de expor as suas idéias. Existirá um momento em que as audiências se transformarão. As pessoas que se encontrarem em melhor condição para ouvir rádio por internet ou via satélite, irão fazê-lo, mas isso não define o que toda essa audiência estará fazendo. Muitos ainda estarão rastreando sinais de satélites, emissoras distantes emitindo em qualquer faixa também terão a sua audiência garantida e isto prova que a prática de radioescuta não va acabar.

O rádio é muito mais do que um simples veículo de comunicação, mas um meio hábil, relativamente barato e de fácil acesso que pode transformar toda uma sociedade. Ainda nos dias de hoje, o rádio chega onde a televisão não chega. Atinge populações que nunca imaginaram o que é um simples controlo-remoto, mas principalmente, possui tecnologia muito mais barata e versátil do que qualquer outro meio de comunicação de massa conhecido até ao momento. O rádio poderá transformar-se, mas nunca irá acabar.”

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *