O tal sujeito

Publicado em: 10/04/2014

O barbeiro Zezinho era um cara paciente, para alguns até um tanto bobo. Já seu vizinho de comércio, Gervásio, do cachorro-quente, era durão, não levava desaforo pra casa, e nem fazia fiado. Apareceu um sujeito novo no bairro, tinha uma lábia fora de sério.

O tal sujeito foi até o carrinho de cachorro-quente de Gervásio e lhe passou uma conversa. Aquela história de que acabou de pegar um serviço, ainda não recebeu e ta separado, tudo muito difícil. Conseguiu o quase impossível, um cachorro-quente fiado.

No dia seguinte passou a conversa no barbeiro Zezinho. O sujeito pediu fiado, cabelo, barba e bigode. Disse que até havia comprado um cachorro-quente no vizinho, Gervásio, mas que ainda não tinha recebido para poder pagá-lo. Assim que fizesse cabelo e barba iria ao banco retirar dinheiro. Voltaria imediatamente pagar o barbeiro. O Zezinho aceitou.

Enquanto Zezinho barbeava o bom de papo, ficou sabendo que ele iria até o banco a pé, na Rua Leoberto Leal, em Barreiros. Como era um dia muito quente, Zezinho sentiu pena do sujeito e lhe ofereceu dinheiro para o ônibus. Disse que poderia pagar junto com o cabelo e a barba. O sujeito aceitou. Ainda bem que o tal sujeito não preferiu um taxi.
No dia seguinte, logo cedo, Gervásio foi até o salão de Zezinho e disse:

– É verdade que tu fizeste fiado para aquele cara? Ele fez cabelo, barba e ainda tu deu dinheiro pra ele pegar o ônibus? Tu és muito burro!

O barbeiro respondeu:

– Tu também vendeste um cachorro-quente pra ele, não vendeu?

Gervásio, irritado, disse:

– Ah, mas eu não vou deixar assim. Acabei de descobrir onde ele trabalha e fui até lá. Dei uma dura nele. O cara ficou apavorado. Disse que ainda hoje vem me pagar. De bobo eu não tenho é nada!

No dia seguinte o barbeiro foi curioso até o carrinho de cachorro-quente do Gervásio e perguntou:

– E aí Gervásio. O cara veio te pagar?

Gervásio respondeu:

– O Zezinho, tu nem sabe. O cara é gente fina mesmo. Esteve aqui ontem à noite, levou mais três cachorros-quentes, uma coca-cola, e uma cerveja e disse que vêm pagar nós dois ainda hoje.

Oito anos depois Zezinho e Gervásio ainda estão esperando o tal sujeito. Talvez esteja voltando do banco a pé.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *