Países estendem negociações para declaração da Rio + 20

Publicado em: 07/05/2012

Grupo decidiu que voltará a Nova York em 19 de maio por mais cinco dias para tentar formar consenso; documento finalizará a Conferência sobre Desenvolvimento Sustentável, marcada para 20 a 22 de junho, no Rio de Janeiro.

MÍDIA | Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York

Representantes dos governos que participarão da Rio + 20, no próximo mês, no Brasil, decidiram estender, por mais cinco dias, as negociações sobre a declaração final do evento. O anúncio foi feito, em Nova York, na sexta-feira; o grupo deverá voltar à sede da ONU no dia 19 de maio e ficar até 2 junho. A reunião, na semana passada, foi acompanhada também por integrantes da sociedade civil. O objetivo da prorrogação do prazo é tentar construir consensos para avançar nos pontos principais do evento. O secretário-geral da Conferência sobre Desenvolvimento Sustentável, Sha Zukang, disse que a abordagem da negociação atual chegou ao fim, e que agora é preciso continuar com um senso de urgência.

Na sexta-feira, o diretor do Greenpeace no Brasil, Marcelo Furtado, falou a jornalistas na sede da ONU, sobre um dos motivos da falta de consenso.

“De um lado, os países ricos têm uma preocupação com a palavra ‘renováveis para todos’. O ‘para todos’ preocupa os países ricos porque eles se perguntam: quem vai pagar isso? E os países em desenvolvimento ficam preocupados com a palavra ‘renováveis’ porque eles veem nisso duas ameaças. Uma é de que eles vão ter que comprar tecnologia cara, e a outra ameaça é que enquanto eles não têm esta tecnologia disponível e terão que queimar fóssil, eles podem estar se comprometendo a não ter energia.”

Segundo analistas, outros pontos de  discórdia são as metas de desenvolvimento sustentável. Os países também têm compromissos voluntários assim como a sociedade civil e o setor privado.  No final da Rio + 20, o documento negociado agora deverá preparar o caminho para que a comunidade internacional reafirme seu compromisso com ações concretas, a partir do encontro no Brasil.

Sha Zukang pediu mais vontade política e disse que o objetivo da ONU é chegar ao Rio com pelo menos 90% da declaração final pronta. Segundo ele, 10%, ou a parte mais difícil, podem ser negociados no Brasil.

O documento, apesar de ter sido reduzido para 100 páginas, ainda tem muitos parágrafos e muita repetição, na opinião de Zukang.

Muitos países mostraram preocupação com a questão da prestação de contas e da implementação dos compromissos assumidos, assim como o tema da economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da pobreza.

Segundo as Nações Unidas, mais de 120 chefes de Estado e governo devem participar da Rio + 20, que será realizada no Riocentro. Cerca de 50 mil pessoas estão sendo esperadas, incluindo representantes da sociedade civil, do setor privado e uma delegação de prefeitos de várias partes do mundo.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *