Palavra de mulher: Clica Voigt

Publicado em: 10/03/2013

Semana Internacional da Mulher | Depoimento | Repórter Cláudia Barbosa

Clica Voigt

Olha, vou até procurar no Google quem foi a FDP que resolveu queimar aquele famoso sutiã em praça pública. Não que eu seja machista, até porque hoje em dia nem dá pra pensar nessa idéia. A não ser que você seja daquelas que casaram com um homem muitooooo do rico e passem o dia entre o cabeleireiro e dando ordens pra babá. Aí cabe.

Eu me revolto com essas mulheres inconsequentes que queimaram a porra do tal sutiã porque elas não tinham noção do que estavam fazendo com a vida de suas filhas, netas…

A minha mãe por exemplo, vivia reclamando que não tinha tempo pra nada, que trabalhava demais. Tudo isso porque ela acordava, dava café da manhã pras filhas e marido, tirava a mesa, ia ao supermercado comprar os ingredientes pro almoço, fazia o almoço (sempre com uma assistente doméstica ao lado, claro), dava comida pros bichos de estimação, recolhia a roupa suja, lavava, estendia, (ela estendia roupas na grama e ficava o dia inteiro respingando água naquelas roupas, nunca entenderei aquele movimento),  botava a mesa pro almoço, almoçava com a família, tirava a mesa, arrumava a cozinha, nos levava pra natação, aula de inglês, fazia uma cuca de banana, arrumava a casa, pensava no jantar, e ainda tinha tempo pra visitar minha vó, ou fazer lanche com as amigas e uma aulinha de yoga antes da função do jantar. Lógico que isso é um breve resumo da rotina de uma mulher do lar. Aí entram tantas coisas mais….

Os homens… Meu pai, no caso, saía de casa pro trabalho, voltava somente pra comer e dormir. Nunca fritou um ovo. Hoje está fazendo quase meio ano que minha mãe morreu e tivemos que colocar alguém para morar com ele (uma substituta de esposa) porque senão ele morreria de inanição.

Hoje as mulheres acumulam tudo que a rotina doméstica exige e ainda precisam trabalhar e botar dinheiro pra dentro de casa. Os homens continuam fazendo a mesma coisa que meu pai fazia, mas com o conforto de hoje dividirem as contas com a mulher.  Isto é, nem precisam mais trabalhar tanto assim, e conheço muitos que além de não trabalhar também não cuidam dos afazeres domésticos.

A mulher dá conta!

O que me preocupa  é  que as mulheres estão tão independentes, mas tão independentes, que acho bom os homens começarem a queimar cuecas em praça pública, senão…

5 respostas
  1. Karen says:

    Oi????
    O que você quer dizer com este texto?
    A ideia é dividir e não perder nossas conquistas.
    E nas classes menos favorecidas economicamente, as mulheres sempre estiveram à frente.
    É importante não reafirmar clichês.
    O mundo é mais dinâmico, é interessante dar uma atualizada no discurso classe média dona-de-casa.
    Abçs.

  2. Karen Christine Réchia says:

    olá, meu comentário não foi aprovado?
    que pena, esperava pelo debate.
    abçs.

  3. Clica Voigt says:

    Karen, eu concordo contigo e admito que cheguei a repensar se mandaria este texto pra Claudia, ou não….
    Mas olha bem a minha situação: eu tenho 3 filhos entre 10 e 7 anos (um deles com problemas neurológicos, que precisa de cuidados multiplicados) e nesta fase (olhe bem, eu disse NESTA FASE), criando 3 novas pessoas para o mundo, tento fazer isso de uma maneira muito intensa, e acabo vivendo uma realidade que parece mesmo pouco dinâmica em relação ao mundo. Mas eu nunca fiz tanta coisa ao mesmo tempo. Tô morta de cansada.
    Eu bem que tentei “terceirizar” a educação dos meus filhos, mas não dá. Não é a mesma coisa.
    Essa coisa de dona de casa classe média é exatamente o que eu sou. Não, errei, é exatamente o que eu ESTOU.
    Se há alguns anos uma vidente me desse este texto para ler dizendo que no futuro eu o escreveria, eu ia achar que ela era louca. Mas esta sou eu hoje, por opção minha.
    Tive que dar um “pause” em todas as minhas conquistas…
    E tens toda razão em não gostar, porque ás vezes, no meio desta loucura, eu também não gosto nada do que vejo, e desejo (muito mais do que um rocambole de doce de leite) voltar a ser eu de novo! Mais interessante e atualizada.

    Mas valeu pelo “chacoalhão”. E te digo mais, tivesses sorte em não ter lido nenhum texto meu na época em que eu amamentava e trocava fraldas em três tamanhos diferentes, hahahahahahahahahaha, a minha dissertação era um pouco -muito- pior).
    Bjs
    Clica

  4. Flavia Noll says:

    Concordo com a Clica. Com esta revolução a mulher acumulou tarefas e responsabilidades e aumentou muito o grau de cobrança. Conquistamos muito espaço e isso é ótimo. Sinal de evolução. Mas os homens continuam exatamente como no século retrasado. Tá errado… Se hoje a gente ajuda com as despesas da casa, porque eles não podem ajudar tb nas tarefas ditas femininas? Sei que não são todos, mas é uma ENORME maioria….. Mas no fundo até entendo… Se eles fossem multifuncionais e tão maravilhosos quanto nós, não seriam homens… seriam mulheres… kkk Que venha a IGUALDADE entre os sexos!

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *