Papo Livre 135: Geladeira era uma peça rara e cara

Publicado em: 17/04/2011

E chegou a hora do nosso Papo Livre para eu contar causos pra vocês. Nos anos de minha infância poucas famílias tinham geladeira em casa. Era uma peça cara e rara. Foi preciso achar um jeito para a conservação dos alimentos. Quando sobrava alguma coisa que podia ser aproveitada no dia seguinte, as pessoas escolhiam o lugar mais fresco da casa para deixa-la. Em minha casa o local preferido era a janela da cozinha que permanecia aberta e exposta à brisa da madrugada. Forrava-se o alimento com um pano limpo e ele ficava ao relento até o dia seguinte. Naqueles tempos era possível deixar a janela aberta, o que já não se aconselha nos dias atuais. Apesar da casa ser térrea ninguém nos importunava. Nem sempre a comida se salvava e muita coisa era perdida. Para conservar a manteiga e evitar que ela ficasse rançosa, as pessoas a enleavam com papel-manteiga e colocavam num prato fundo com água. Além da conservação das comidas havia também a preocupação de se manter a água fresca para a família beber. Para isso usavam-se as moringas, onde era colocada a água da torneira ou do poço que em muitas casas ainda havia. As moringas eram garrafas grandes feitas de barro que mantinham a água fresca e muito boa de se tomar. Este nosso Papo Livre transmitido pela Rádio Educativa AM 630 aos domingos, das 7 às 8 da manhã, é reproduzido no site www.carosouvintes.org.br do meu amigo Antunes Severo.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *