Papo Livre – 88

Publicado em: 03/04/2010

Remexendo os meus antigos guardados encontrei algumas anotações que me levaram a pensar sobre a transitoriedade do sucesso. Seja quem for, um cantor, um ator, um político, um destacado funcionário, um empresário, todo mundo está sujeito às modificações que ocorrem na preferência popular, na admiração e no apoio das outras pessoas. Os dias de glória não são eternos e são poucos os que permanecem na lembrança do povo através nos anos.

No meu cofre cheio de velharias eu li que o Imperador Dom Pedro II e sua mulher dona Thereza Christina visitaram Curitiba em 1880.  Aí, para homenagear a distinta visitante e agradar ao Imperador, a Rua das Flores teve seu nome mudado e passou a se chamar Rua da Imperatriz. E fizeram mais: a área central que servia de depósito de lixo e onde hoje é a movimentada Praça Santos Andrade, recebeu o nome de Largo Thereza Christina.

Agora vejam só como é o mundo e como a glória é efêmera: nove anos depois, em 15 de novembro de 1889, com a proclamação da república, a Rua da Imperatriz passou a se chamar Rua XV de Novembro.

Sic transit gloria mundi  – assim passa a glória do mundo.

Essa expressão latina serve de alerta. A glória terrena se esvai como a fumaça. Por isso, quando a gente está numa boa não deve tripudiar sobre quem está na pior.

Este nosso Papo Livre é reproduzido no site www.carosouvintes.org.br do meu amigo Antunes Severo.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *