Pausa no celular

Publicado em: 15/04/2013

Rádio CBN Brasil | MUNDO DIGITAL, com Ethevaldo Siqueira

Milton – Ethevaldo, qual são as perspectivas da telefonia celular no Brasil?

Ethevaldo – A telefonia móvel está chegando a um ponto de saturação no País, Milton. Em fevereiro, o Brasil chegou ao patamar de 263 milhões de celulares em serviço, o que dá uma média ou densidade de 133 aparelhos por 100 habitantes, segundo a Anatel.

Milton – Quais são os Estados com maior densidade de telefones celulares?

Ethevaldo – A unidade da Federação com maior densidade é o Distrito Federal, com 219 celulares por 100 habitantes, seguido de São Paulo, com 151; Rondônia, com 150,2; Mato Grosso do Sul, com 149,1. O Estado com menor densidade é o Maranhão, com 91.

Milton – Você acha que o celular vai parar de crescer nos próximos anos?

Ethevaldo – Não, Milton. O que está ocorrendo é a redução do ritmo de crescimento da telefonia móvel, por saturação da demanda. Essa queda de ritmo pode ser comprovada nos últimos dois anos. De 2011 para 2012, o percentual de expansão caiu de 19,3% para 6,2%. Em números absolutos, o Brasil crescia em 2011 à média de 3,4 milhões de acessos por mês, e passou a crescer em 2012 a apenas um terço desse número, a apenas 1,2 milhão. É uma forte desaceleração, Milton. Mas o País crescerá de forma vegetativa nessa área.

Milton – E qual é a perspectiva de longo prazo?

Ethevaldo – Num horizonte de dez anos, teremos milhões de outros dispositivos móveis, cujo crescimento tende a ser muito maior do que o do celular e dos smartphones. Serão os tablets, óculos e relógios inteligentes, com capacidade de comunicação pela rede celular. O que parece não ter fim é a comunicação móvel, Milton. Ela tende a crescer sempre mais.

Milton – Por quê?

Ethevaldo – Porque, em paralelo, já está surgindo a comunicação máquina-a-máquina, característica da internet das coisas. Nosso automóvel falará com os semáforos, com as cancelas de pedágio, com as placas eletrônicas de informação de trânsito. Nossos eletrodomésticos se comunicarão com supermercados via internet, e a rede elétrica de 2020 será muito mais inteligente, dispensando a leitura de medidor hoje feita por pessoas que se deslocam a cada endereço em milhões de residências e indústrias.

Milton – Até amanhã.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *