Pequena história do rádio e da televisão – 4

Publicado em: 21/03/2012

Velhas lavagens cerebrais

No dia 23 de maio, a Ceará Rádio Clube comemorou seu 48º aniversário do lançamento de sua pedra fundamental onde funcionaria o canal 2, dos Diários Associados. Instalada na Estância Castelo, onde hoje fica a holding do Grupo Edson Queiroz, na Avenida Antônio Sales, foi a primeira emissora de televisão do Estado, servindo de escola pra muita gente boa, como Emiliano Queiroz, Renato “Didi” Aragão, Ayla Maria, Augusto Borges, Paulo Limaverde, B. de Paiva, João Ramos, Wilson Machado, Guilherme Neto, Ary Sherlock, Hiramisa Serra, Karla Peixoto, Assis Santos e muitos outros.

Uma história linda, cheia de nuanças positivas, rádio e televisão serviram para a divulgação da cultura e a história do povo brasileiro e dos acontecimentos de destaque no cenário mundial. É lamentável que nos dias de hoje esta cultura esteja deixando a desejar, tanto no rádio como na televisão. A falta de vocação profissional deu lugar ao benefício próprio. Os dois canais de comunicação estão servindo de trampolim para pretensos profissionais galgarem posições mais altas, procurando mostrar serviço para os incautos e visando a abiscoitar um cargo político.

O rádio também passa por estes momentos cruciais. É lamentável que este trampolim esteja descaracterizando os dois veículos de comunicação e, além do mais, profissionais sem escrúpulos e educação usam os meios de comunicação para verbalizar sua linguagem de duplo sentido, estendendo-se a pornografia explícita. Banalizam a violência e dizimam a cultura aos poucos. Os horários arrendados pelo rádio e a televisão têm proporcionado uma queda na qualidade da programação destes veículos. Vamos batalhar por um rádio e uma televisão de melhor qualidade e acabar com o estigma de que a beleza física seja mais importante do que a vocação profissional. E o perigo ronda a rádio e a televisão com a concessão de espaços para emissoras religiosas e de caráter político, que no frigir dos ovos só serve para iludir o povo através das velhas lavagens cerebrais.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *