Pior a emenda

Publicado em: 24/03/2013

Memória | Capítulo 19 O Eleutério Camargo, meu saudoso amigo Camarguinho, era um vitorioso comerciante que adorava a radiofonia e muito prestigiava os radialistas. Ele não trabalhou em Rádio e, mesmo assim, trabalhou pelo Rádio. Por muito tempo, usando pseudônimo, escreveu uma coluna sobre a radiofonia paranaense no jornal “Gazeta do Povo”. Ali ele divulgava os programas das emissoras, falava sobre as realizações dos radialistas, dava aos profissionais do Rádio aquele incentivo tão necessário aos artistas da comunicação. Desejando promover ainda mais os radialistas locais, em 1957 criou a revista mensal “SHOW”, da qual participaram Mbá de Ferrante e Miranda Júnior. Em 1959 Eleutério Camargo lançou o quinzenário “SHOW JORNAL”, juntamente com Mbá de Ferrante, sempre prestigiando os radialistas. Era um cara de grande valor.

Certa vez, já no avançar da idade, mas ainda não aceitando a condição de idoso e muito menos ser chamado de velho, o Camarguinho resolveu atravessar a Rua Marechal Deodoro fora da faixa de pedestres, dirigindo-se para sua empresa, Lojas Bettega. Quase foi atropelado por um carro. Felizmente quem dirigia freou em tempo. Então, o jovem e irritado motorista abriu a janela e gritou:
– Quer morrer, velho!
O Camarguinho ficou injuriado, indignado, porém antes que ele tivesse qualquer reação, de um outro carro que havia parado ao lado desceu um homem reforçado que partiu em sua defesa, dizendo ao ofensor:
– Não lhe deram educação, seu boçal?
E quando o meu amigo Camarguinho ficava todo feliz por ter alguém em sua defesa, o seu defensor acrescentou:
– Você não tem vergonha de estar desrespeitando o velhinho?
Pombas! Ai estragou tudo e o Camarguinho foi embora mais chateado ainda.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *