Posse da presidência da Fundação TVE pode sofrer boicote

Publicado em: 22/10/2008

Conselheiros e funcionários da Fundação Cultural Piratini – Rádio e Televisão prometem boicotar a posse do novo presidente da TVE, o jornalista Ricardo Azeredo, marcada para as 15h desta quinta-feira, 23. Na última sexta-feira, 17, o presidente do Conselho Deliberativo, Ercy Pereira Torma, encaminhou correspondência à governadora Yeda Crusius e à secretária de Cultura, Mônica Leal, protestando contra a nomeação da nova presidência sem que o Conselho da Fundação tivesse sido ouvido, como determina o estatuto.

“Trata-se de reivindicar um grau mínimo de respeito às entidades da sociedade civil que integram o Conselho Deliberativo, órgão que não está subordinado ao Governo do Estado”, esclarece o ofício assinado por Ercy, que também é presidente da ARI (Associação Riograndense de Imprensa). E acrescenta: “Não apenas por uma questão de legalidade, evitando que o ato se torne sem efeito, a comunicação prévia dos nomes viria reforçar o bom  nível de diálogo político que alguns membros de seu governo estabeleceram e mantêm com o Conselho Deliberativo da Fundação Piratini”.

O jornalista e representante dos funcionários da TVE no Conselho, Alexandre Lebutti, ressalta que a indicação do nome de Azeredo é legal, mas a posse é ilegal justamente por não ter tido o aval dos conselheiros.

“É uma falta de respeito ao Conselho, essa instituição que há tempos está numa exaustiva atividade interna e externa em prol da Fundação, mas que não consegue dialogar com o poder Executivo. Desde janeiro, estamos tentando uma reunião com a governadora para discutir propostas para a TVE, mas, até agora, nada”, afirma Lebutti. O primeiro passo, de acordo com o jornalista, é tornar pública essa indignação e, depois, buscar as vias legais. Um ofício também foi encaminhado ao Ministério Público Especial junto ao Tribunal de Contas e nesta quarta-feira, 22, Lebutti  entrará com uma ação de improbidade administrativa contra Yeda no Ministério Público Estadual. Depois disso, adiantou, a medida a ser tomada será entrar com um mandado de segurança para impedir a posse.

Fonte: coletiva.net

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *