PRB-2: As muitas casas da Clube

Publicado em: 12/02/2012

Memória | Capítulo 13/3 | Palestras em 1943

Parte 3 – Já de longa data a Rádio Clube Paranaense foi um eficiente veículo de divulgação do nosso Estado e da nossa gente. Podemos citar, como exemplo, a transmissão das palestras realizadas em março de 1943 como parte das comemorações do aniversário de Curitiba. Os seguintes intelectuais paranaenses falaram ao microfone da Bedois proferindo palestras sobre a efeméride: Romário Martins, nosso grande historiador, presidente do Instituto Histórico, Geográfico e Etnográfico Paranaense;  Dr. Valfrido Piloto – Academia Paranaense de Letras; Srta. Inaura Carneiro Leão – Centro Feminino de Cultura;  Dr. Oswaldo Piloto – Diretório Regional de Geografia; Dr. Heitor Stockler de França – Centro de Letras do Paraná; Clotário Portugal Filho – União Estadual dos Estudantes e Dr. Nestor Ericksen – em nome do Governo Municipal. Foi uma semana de elevado civismo em que se enalteceu a cidade de Curitiba através da palavra de intelectuais de nossa terra.
Parte 4 – Túlio Vargas. Odilon Túlio Vargas nasceu em Pirai do Sul, Paraná, no dia 28 de junho de 1929. Começou a gostar de rádio aos quinze anos de idade, quando se instalou uma emissora em Itararé, São Paulo, onde ele morava com a sua família. Aquela novidade deixou o jovem empolgado e ele começou a sonhar em ser um locutor de rádio.

Foi, no entanto, em Itapeva, uma cidade próxima onde passou a estudar, que Túlio Vargas teve suas primeiras experiências como profissional do microfone, trabalhando como locutor num serviço de alto-falante. Os serviços de alto-falantes eram muito comuns nos anos 40 e neles começaram suas carreiras outros radialistas de sucesso, entre eles Haroldo de Andrade, Vicente Mickosz, Nicolau Nader e Herrera Filho.

Vindo para Curitiba, Túlio assumiu a chefia de esportes da Rádio Clube Paranaense em abril de 1947, quando Epaminondas Santos era o proprietário da emissora e Jacinto Cunha era o gerente. Foram seus colegas de atividade nos programas esportivos Castro Pereira, Plácido Machado, Arthur de Souza, Eolo César de Oliveira, entre outros. Naquela época a Rádio Clube Paranaense apresentava seus programas de esporte apenas nos estúdios. Túlio Vargas criou uma série de inovações, lançou as transmissões externas e entrevistas nos mais variados locais, inaugurando uma nova fase na radiofonia do Paraná. Valério Hoerner Júnior, em seu livro “RÁDIO CLUBE PARANAENSE – A PIONEIRA DO PARANÁ”, referindo-se a Túlio Vargas escreve:

”O primeiro jogo por ele narrado foi Coritiba X Botafogo, no Estádio Belfort Duarte, hoje Couto Pereira. Nessa época começou a ser conhecido como “o mais novo locutor esportivo”.

Esse slogan foi criado por Eolo Cesar de Oliveira que, além de redator e secretário da emissora, tinha atuação também no setor esportivo.

1947 – Em publicação nos jornais a Bedois anunciava transmissão de jogo com seu novo narrador, Túlio Vargas. Um detalhe interessante: Eolo de Oliveira era o comentarista e Arthur de Souza o locutor auxiliar (lia os textos de publicidade).

Ainda no livro de Valério Hoerner Júnior encontramos:
“Como já foi dito, seu programa principal foi “Bola na Trave”, em que promovia entrevistas ao vivo, especialmente geradas do Bar Stuart, ainda na esquina da rua Voluntários da Pátria com a avenida Luiz Xavier, na Praça Osório”.

Túlio criou, também, um programa sindical e político, o que demonstrava, já naquela época, a sua tendência para a carreira como homem público, na qual foi brilhante.

Em 1947, recebendo tentadora proposta da recém-fundada Rádio Guairacá, que andava explodindo no Ibope da época, Túlio deixou a Bedois e passou a atuar na nova emissora. Na Guairacá participou das transmissões esportivas, trabalhando com Rocha Braga, João Féder e outros, numa fase áurea da “voz nativa da terra dos pinheirais”.

Túlio Vargas formou-se em Direito em 1954, dedicando-se inteiramente à profissão. Eleito deputado estadual em 1961, passou a se interessar pela História, tendo muitos livros publicados.

Em 1974 foi eleito para a cadeira No. 23 da Academia Paranaense de Letras da qual foi eleito presidente em 1994.

Túlio Vargas, talentoso e criativo, está situado entre os grandes pioneiros da radiofonia do Paraná.

Em 1947, transmissão esportiva da Bedois. Ainda não havia cabines nos estádios e os locutores ficavam junto ao gramado. Na foto, Plácido Machado, Altair Cavalli, Túlio Vargas (de chapéu) e Arthur de Souza. (Foto obtida no livro “Rádio Clube Paranaense – a pioneira do Paraná”, de Valério Hoerner Júnior).

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *