Primeira vez

Publicado em: 06/09/2012

selo-tecnologia-ethevaldoMilton – Bom dia, Ethevaldo. Como vai? Ethevaldo – Bom dia, Milton; bom dia, ouvintes. Tudo ótimo. Milton – Ethevaldo, hoje você prometeu relembrar a primeira transmissão oficial de rádio de 7 de setembro de 1922. Ethevaldo – É verdade, Milton. Amanhã essa transmissão vai comemorar 90 anos. Ela marca o nascimento do rádio brasileiro. Foi uma das formas que o governo do presidente Epitácio Pessoa usou para comemorar o Primeiro Centenário da Independência do Brasil, em 1922. A transmissão de um programa de rádio para um grande público começou com a abertura da ópera O Guarany e, em seguida, o discurso do presidente, reproduzido por meio de alto-falantes espalhados no Rio de Janeiro, em Niterói, em Petrópolis e na Praça da Sé, em São Paulo. A manchete do jornal A Noite do dia seguinte dizia “Um sucesso da radio-telephonia e do telephone auto-falante”.

Milton – E como foi a reação popular diante dessas transmissões?

Ethevaldo – Segundo resgatei em jornais da época, foi de admiração, de espanto e até de medo. Muitos pregadores religiosos fizeram longos sermões avisando que o fim estava próximo, porque, para eles, transmitir a voz sem fio é coisa do diabo e do Apocalipse.

Milton – E quem foram os pioneiros responsáveis pela transmissão radiofônica nessa época?

Ethevaldo – A transmissão do dia 7 de setembro de 1922 foi resultado do trabalho de quatro pioneiros, apaixonados pelo rádio: Roquette-Pinto, e os engenheiros Elba Dias, Henrique Morize e José Jonotskoff de Almeida Gomes, com a estação instalada no alto do Corcovado, numa época em que não havia o Cristo Redentor. E mesmo com uma potência de apenas 750 watts, o programa foi captado até na Califórnia por alguns apaixonados pioneiros de rádio nos EUA. Como não havia transmissões eletromagnéticas, nem motores elétricos, e pouquíssimos aviões no ar, a atmosfera do planeta era um lago sereno. Não havia praticamente nenhum ruído radioelétrico, Milton. Hoje, mesmo os sinais de uma emissora com potência de vários quilowatts não consegue chegar do outro lado da cidade.

Milton – Amanhã é sexta-feira, dia de falarmos sobre o futuro. Qual será o seu tema?

Ethevaldo – Vou falar sobre o futuro do rádio. Ou o rádio do futuro.

Milton – Até amanhã.

Rádio CBN Brasil | Mundo Digital, com Ethevaldo Siqueira

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *