Primórdios do rádio paranaense 08

Publicado em: 17/02/2008

Como vimos no episódio da semana passada desta breve resenha sobre a Rádio Clube Paranaense, além de pioneira a emissora inovou e ousou em vários gêneros de programação. A equipe de radioteatro, por exemplo, chegou a ter mais de 50 componentes.
Por Ubiratan Lustosa

O Ivo Ferro era famoso pela sua competência e pelo rigor com que comandava a sua equipe. Os principiantes ficavam muito nervosos e tremiam em suas primeiras participações e erravam, e aí acontecia o inevitável: aquela tremenda bronca do Ivo Ferro.
Certa vez, Conceição Rodrigues teve o seu batismo de fogo. Em emocionante cena da novela, numa das falas da Conceição, estava a palavra soporífero. Na história, alguém dava a uma pessoa um soporífero, uma substância que faz dormir. Nervosa e tentando caprichar em sua participação, Conceição Rodrigues em vez de dizer que deram à personagem um soporífero, disse que deram a ela um SEU PORFÍRIO. E enquanto a turma se esforçava para segurar as gargalhadas, o Ivo Ferro, irado, fazia esforços para não ter um chilique.
Pois bem. Falamos sobre os espetáculos, o auditório e alguns artistas. Falamos um pouco sobre o setor esportivo e os grandes locutores pioneiros, e focalizamos o radioteatro e alguns dos ídolos por ele criados. Falemos agora de outras coisas.
Para finalizar, umas rápidas pinceladas sobre os noticiários.
A notícia através do Rádio sempre foi de extrema importância. Durante a última Guerra Mundial, nosso povo e principalmente imigrantes de paises em conflito, ou seus descendentes, ansiavam por informações sobre as batalhas que eram travadas.
A Rádio Clube Paranaense passou a apresentar edições extraordinárias, dia e noite. Estabelecendo um convênio com o jornal “Gazeta do Povo”, a Bedois recebia as notícias de última hora e as transmitia de imediato. Na Rua XV de Novembro, a mais movimentada via de Curitiba naquela época, a emissora colocou alto-falantes para que os transeuntes ouvissem as notícias. Naquele tempo ainda não havia o rádio de pilha.
A “Revista Matinal”, criada e apresentada por Arthur de Souza nos anos 1940, dominou a audiência por muitos anos. Sua credibilidade era de tal ordem que as pessoas que obtinham alguma notícia em outras fontes, esperavam o programa do Arthur para ter a confirmação da sua veracidade. Arthur era advogado e foi deputado estadual.
Ao longo dos anos, outros grandes profissionais comandaram ou participaram do Departamento de Notícias da Rádio Clube Paranaense. Vamos lembrar de alguns.
Milton Luiz Pereira foi o notável apresentador do noticiário “Prosdócimo Informa!”. Formou-se advogado, foi professor, prefeito de Campo Mourão, juiz e Ministro do Superior Tribunal de Justiça. Homem de valor.
Moacir Amaral, um factótum de extraordinária utilidade para a Rádio Clube. Era redator e noticiarista e dirigiu o departamento comercial.
José Maria Pizarro foi outro valor exponencial dos noticiários da Bedois, em época menos distante.
Jorge Yared, mais um nome marcante. Começou muito jovem e ainda está atuando. É advogado.
Amauri César, Antunes Severo, Ayrton Fagundes, Borges Silva, Edson Marassi, Paulo Furiatti (foi deputado estadual e prefeito da Lapa) e, mais recentemente, Élson Faxina e Luiz Witiuk, ambos professores universitários, são outros valores sempre lembrados.
Bons repórteres também não faltaram a Bedois. Hélcio José, Jota Pedro, em épocas menos distantes Carlos Alberto (Peninha), Algaci Túlio, (foi repórter e depois apresentador) foi deputado, J.P., Augusto Canário, Piter Júnior. Alguns ainda estão atuando.
Essa foi a grande época da fase de desenvolvimento quando as emissoras de rádio eram ecléticas. Faziam um pouco de tudo e os radialistas tinham que fazer de tudo um pouco. Eu mesmo transmiti missas da Catedral e shows em boates, corridas de bicicleta e a chegada do Presidente Getúlio Vargas para a festa do Centenário de Emancipação Política do Paraná, em 1953. (Levei muitas cotoveladas da delicada equipe comandada por Gregório Fortunato que circundara o avião).
Durante 22 anos a Rádio Clube Paranaense foi a única emissora de Curitiba. Desde a sua fundação, até 1946, quando foi fundada a Rádio Marumby, a Bedois era dona de uma audiência cativa. A concorrência, criada pela Rádio Marumby, foi aumentada quando em 1947 foi fundada a Rádio Guairacá, em 1949 a Rádio Emissora Paranaense e em 1955 a Rádio Colombo.Também em 1949 foi criada a Rádio Educativa, tendo por base a rádio do Colégio Estadual do Paraná.
A história do nosso rádio é tão rica que só falamos sobre a nossa primeira emissora e faltou muita coisa pra dizer e muitos nomes para citar. De qualquer forma, em nome dos que foram mencionados, fica a nossa homenagem a todos os que ofereceram o seu talento e a sua dedicação para que a nossa radiofonia fosse tão encantadora.
Aos que desejarem ler um pouco mais sobre o nosso rádio, convido para uma visita ao meu site ou a se comunicarem comigo por e-mail.
 


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *