Privacidade pode sobreviver no mundo

Publicado em: 15/12/2014

NONATO – Bom dia, Ethevaldo, como vai?

ETHEVALDO: Bom dia, Nonato, bom dia, ouvintes. Tudo ótimo.

NONATO – Ethevaldo, você acha que, diante de tantas ameaças e violações, o direito à privacidade pode sobreviver no mundo?

ETHEVALDO: Embora os riscos sejam enormes, eu sou otimista e acho que ele pode sobreviver, Nonato. É curioso que, entre todos os direitos humanos, a privacidade é o menos compreendido. Mesmo o cidadão comum não sabe dar valor às suas informações pessoais e à sua vida pessoal.

E, nos últimos anos, o Google, o Facebook e outras redes sociais começam a preocupar por sua manipulação de nossas informações pessoais.

NONATO – Mas já não existem reações aos abusos dessas redes sociais?

ETHEVALDO: Existem, Nonato. A União Europeia tem reagido de form enérgica ao domínio e aos eventuais abusos do Google e ameaça dissolver essa rede, conforme resolução aprovada pelo Parlamento Europeu. Essa decisão obriga o Google a desvincular suas ferramentas de busca de outros serviços da internet oferecidos por uma mesma empresa.

NONATO – Que fazer para valorizar e fortalecer o direito à privacidade?

ETHEVALDO: Muita coisa pode ser feita, Nonato. Principalmente no âmbito da educação. Mais do que novas leis, é preciso consolidar a noção desse direito na consciência de cada cidadão. Isso tem que ser feito em diversos níveis, a começar da escola, das universidades, da Imprensa e das demais instituições democráticas.

NONATO – Até amanhã.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *