Programas de Estúdio

Publicado em: 30/10/2011

Memórias | Capítulo 6 – Final

Não eram, porém, somente de auditório os programas da Rádio Clube Paranaense. Vamos lembrar alguns dos programas de estúdio que tiveram grande audiência:  “REVISTA MATINAL” – com Arthur de Souza, todas as manhãs. Este foi um campeão de audiência e trazia grande simpatia dos ouvintes para a Bedois. Arthur de Souza não só dava as notícias como também tecia comentários explicativos, fazia críticas e emitia a sua opinião sobre os assuntos focalizados. Tal era a credibilidade do Arthur de Souza que muita gente tendo ouvido uma notícia com outro informante, só acreditava na veracidade da ocorrência depois de divulgada na “Revista Matinal”.

Às vezes Arthur ficava um bom tempo explicando aos ouvintes coisas do dia-a-dia sobre as quais dava o seu parecer, tornando-se frequentemente um conselheiro amigo de seus ouvintes. Ao término do programa cansei de ver o apresentador atendendo, pacientemente, uma porção de pessoas que iam à Rádio pedir a sua orientação e ajuda. Essa simpatia popular foi confirmada com a sua eleição para deputado estadual.

02 – “RELEMBRANDO” – Domingos, 9 horas, uma criação e apresentação de Sérgio Fraga. Transmitia as composições musicais dos velhos tempos e tinha uma extraordinária audiência. A Rádio Clube Paranaense tinha uma quantidade enorme de discos e a mesma era ampliada com outros do próprio Sérgio Fraga. Tendo permanecido por muitos anos no ar, ficou ligado de tal forma a Sérgio Fraga que, após o falecimento do famoso locutor, foram feitas diversas tentativas para continuar ou substituir esse programa sem que jamais se obtivesse o mesmo sucesso. Sérgio Fraga teve alguns colaboradores que eventualmente o substituíam na apresentação do “Relembrando”, entre eles Demerval Costa, Arthur Conrado Drischel e Luiz Nivaldo Maciel.

03 – “NO LAR E NA SOCIEDADE” – programa por muitos anos apresentado por Carlos Afonso Utrabo. Era tão grande o seu carinho por esse programa que, mesmo doente, prosseguiu apresentando com dedicação enquanto teve forças para faze-lo.

04 – “A HORA DO ÂNGELUS” – às 18h com apresentação de Ângelo Antonio Dallegrave, uma pessoa extraordinária que proporcionava aos ouvintes momentos de recolhimento e oração. A sua religiosidade sincera, a sua fé, a sua ternura, granjearam ouvintes em todo o Brasil.

05 – “VAMOS CONHECER A BEDOIS” – programa apresentado com grande sucesso por Nilda Ferreira. Ela colocava os ouvintes a par das novidades da emissora, realizava entrevistas e testes. Contava as ocorrências dos bastidores, algumas muito divertidas. Era uma revista radiofônica muito agradável e útil para a Rádio Clube.

06 – “JOIAS MUSICAIS” – com apresentação do ótimo locutor Leal de Souza, focalizava músicas de alta qualidade numa seleção muito apreciada pelos ouvintes de bom gosto.

07 – “PROGRAMA ALGACY TÚLIO” – outro campeão de audiência, apresentado por Algacy Túlio no horário anteriormente comandado por Arthur de Souza. Esse programa permaneceu no ar pela Rádio Clube, passando a se chamar “Canal Aberto”. A Bedois sempre teve sucesso nesse horário matinal. Algacy Túlio manteve seu estilo próprio sendo, ao mesmo tempo, repórter, comentarista e apresentador. Combativo defensor da cidadania tornou-se um dos mais populares radialistas do Paraná, tendo sido brilhante deputado estadual em diversas legislaturas. Ficaram famosos os seus bordões “é profundamente lamentável” (para manifestar a sua deploração a algum acontecimento) e “a maldita cachaça” (ao dar notícias de ocorrências policiais ocasionadas por bebedeiras).

08 – “SONHO DE VALSA” – programa de Sérgio Fraga apresentado de segunda a sábado, das 6 às 7 horas. Sérgio Fraga tinha um grande amor pelo que fazia e de modo especial por esse programa e pelo “Relembrando”. Contava com a participação de Demerval Costa e depois de Arthur Conrado Drischel. Era muito popular e dono de grande audiência.

09 – “GALPÃO DE VIOLEIROS”, pela manhã, e “ENQUANTO O MATE CORRE”, à tarde – eram apresentados por uma das duplas sertanejas mais famosas do Paraná: Oswaldinho e Vieirinha. Com a morte de ambos em 1957, num acidente de trânsito que comoveu a população paranaense, o comando do programa “Galpão de Violeiros” ficou com Zé Paióça, um talentoso poeta, letrista e declamador sertanejo dono de grande popularidade.

10 – “SHOW DA MANHÔ – com apresentação de Hamilton Correa, um locutor de grandes méritos que mantinha o bom nível de audiência da Bedois.

11 – “COLAR DE TANGOS” – produzido por Freitas Barranco e apresentado por Lineu Borges. Reunia poesias e tangos em audições dedicadas aos ouvintes românticos que eram em grande número.

12 – “TERRA DOS PINHEIRAIS” – das 4 às 6 horas da manhã, sob o comando de Fernando Fanucchi (Nhô Juvêncio). Quando Fanucchi me solicitou esse horário para fazer seu programa, substituindo um musical em discos que servia apenas para iniciar a emissora e ficar aguardando a “Revista Matinal”, eu achei que ele estava perdendo o juízo. Ponderei que era muito cedo para conseguir audiência e, além disso, eu sabia que ele trabalhava à noite num jornal. Ele, no entanto, estava com a razão. Rapidamente foi obtendo audiência e nos deu muitas alegrias com o seu divertido programa em que os animais falavam. Fanucchi até realizou eleições para escolher o bicho mais querido. Ganhou o galo Felismino. O programa foi um sucesso. Fanucchi ia dormir muito tarde e para poder acordar bem cedo colocava três despertadores perto da cama. Um deles ficava dentro de uma grande lata para ecoar mais. Acordava até a vizinhança.

13 – “FAVORITAS DA JUVENTUDE” – programa em que o dinâmico apresentador Dirceu Graeser movimentava os ouvintes jovens da Bedois. Ele, que também era compositor e cantor, tinha um grande prestígio junto à juventude e possuía uma grande audiência.

14 – “VIVA O FUTEBOL” – outro programa do Dirceu Graeser com grande movimentação e muito ouvido. Dirceu foi um grande revelador de talentos. Deu oportunidade e projetou inúmeros valores. Falamos mais sobre o Dirceu no Capítulo 18, em Galeria.

15 – “PROGRAMA DO ARATY” – sábados, às 19h, com o acordeonista e cantor Araty, que recebeu de Sérgio Fraga o cognome de “príncipe do acordeom”. Araty era também operador de som e foi funcionário da Bedois durante dez anos.

16 – “ENCONTRO COM CLÁUDIO TODISCO” – uma audição de alta qualidade com o virtuose do acordeom Cláudio Todisco. Ele era mestre no registro francês de seu instrumento.

Ubiratan Lustosa. O Rádio do Paraná – Fragmentos de sua história. Curitiba, 2009. Instituto Memória Editora e Projetos Culturais. 41 3352-3661. www.institutomemoria.com.br

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *