Projeto de internet via satélite de alta velocidade caminha lentamente, mas poderá alcançar objetivos em breve

Publicado em: 25/11/2014

MILTON – Bom dia, Ethevaldo, como vai?

ETHEVALDO: Bom dia, Milton, bom dia, ouvintes. Tudo ótimo.

MILTON – Ethevaldo, como vão os novos projetos de internet via satélite de alta velocidade?

ETHEVALDO: A iniciativa mais recente é a do projeto O3B – que se destina, como o nome diz, aos Outros Três Bilhões de seres humanos que ainda não têm acesso à internet e que vivem entre os trópicos na América Latina, na África e parte da Ásia. O projeto O3B está caminhando lentamente mas poderá em breve alcançar seu objetivo.

MILTON – E como é o projeto O3B?

ETHEVALDO: Ele começa a operar com uma constelação de 8 satélites de órbita equatorial de altura média (ou seja, 8.063 km de altura). São satélites avançados na banda de frequência muito mais elevada, chamada KA, de 30 GHz. O número de 8 satélites pode ser expandido até 20 no futuro.

A empresa que fornece a tecnologia e os satélites é a empresa franco-italiana Thales Alenia Space. A subsidiária brasileira da O3B é chamada de Ozônio Telecomunicações, por analogia com os três atómos de Oxigênio que formam o Ozônio ou O3.

MILTON – Mas, além desses projetos, há ainda outro, do Google, não?

ETHEVALDO: Sim, Milton. Na verdade, com todo o seu poder econômico, o Google está comprando uma boa parte das ações da empresa criadora do projeto, que se chama 03B Networks para investir algo entre US$ 1 e 3 bilhões (de dólares) na construção e lançamento de mais 700 minissatélites de órbita baixa, de alta capacidade, para levar ou ampliar a oferta de internet nas regiões mais pobres do planeta, que não tenham conexão. Os dois projetos, o original e o do Google, deverão fundir-se num novo e ambicioso O3B brevemente.

O Google conta ainda com a participação de dois bilionários apoiam a iniciativa. Um deles é Elon Musk, dono da indústria automotiva Tesla. O outro é Greg Wyler, o visionário que criou há 5 anos a empresa O3b Networks.

MILTON – Você é otimista com relação a esses projetos de universalização da internet via satélite?

ETHEVALDO: Sou, Milton. Acho que em menos de 10 anos, a internet estará presente nos países mais pobres do planeta.

MILTON – Até amanhã.

1 responder

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *