Propague: os 50 anos de uma bela e atraente jovem

Publicado em: 13/11/2012

“Sou cada dia mais feliz por ver que a pequenina e ousada A.S. Propague de 1962 continua prosperando, crescendo e honrando os princípios do bom negócio e da qualidade dos serviços”, diz Antunes Severo.

No final de outubro de 1962 os Beatles saíam do quase anonimato com o lançamento da canção Love Me Do, ao mesmo tempo em que uma guerra nuclear entre Estados Unidos e União Soviética parecia mais iminente do que nunca. (…) Na bucólica Florianópolis com menos de 100 mil habitantes, onde a imagem de TV ainda era um sonho e as notícias chegavam em ondas curtas e pelos teletipos, ninguém jamais ouvira falar nos quatro cabeludos de Liverpool. Mas todos acompanhavam com apreensão a queda de braço entre as duas superpotências, e respiraram aliviados ao saber que não seria ainda daquela vez que o mundo explodiria em mil pedaços. Sentados a uma mesa do bar Príncipe, tradicional reduto da boêmia ilhoa na subida da Praça XV de Novembro e apelidado pelo pessoal de rádio de Felinto’s Bar, os radialistas Antunes Severo e Rozendo Lima brindaram distraidamente – Rozendo com um copo de guaraná, já que era abstêmio – quando o fantasma da guerra atômica se dissipou. E logo voltaram a concentrar toda sua energia nos preparativos finais do projeto da agência de propaganda que iriam abrir em duas semanas.”

Assim inicia o livro que conta a história da Propague, que completa 50 anos neste dia 13 de novembro, por coincidência, também uma terça-feira, como há meio século. No Brasil, a agência está entre as seis que chegaram aos 50 anos – três multinacionais e três brasileiras –, segundo estudo de Rafael Sampaio publicado na revista About. O texto do livro, de autoria do jornalista Flávio Sturdze, já está pronto e o lançamento está previsto para o final deste ano, dentro de uma programação que inclui, entre outras atividades, o novo site – já colocado no ar -, anúncios, shows, uma rádio online – referência ao trabalho dos fundadores Antunes Severo e Rozendo Lima na Diário da Manhã – e a publicação Gourmandices Catarinenses, escrita pelo jornalista João Lombardo, sobre as diferentes faces da gastronomia catarinense. As atividades comemorativas vão até o dia 14 de fevereiro de 2013, para marcar a data de registro na Junta Comercial (13/02/1963).

“O livro contextualiza a história da agência e de seus principais personsagens, mostrando fatos e comportamentos marcantes de cada época, no Brasil, no mundo e em Santa Catarina. Cada uma das cinco décadas virou um capítulo, que será ilustrado com fotos e anúncios”, conta Roberto Costa, atual presidente da agência. O trabalho de pesquisa do livro e toda a programação do aniversário é feita por um grupo de integrantes históricos da Propague, que se reúne periodicamente há um ano. Além de Roberto, fazem parte Antunes Severo, Geoge Peixoto, Emílio Cerri e Chico Socorro.

A agência surgiu como A.S. Propague, devido às iniciais de Antunes Severo. Roberto Costa entrou na agência em 1972, na criação.  “Nos anos 70, liberdade era uma calça velha, azul e desbotada, e foi usando uma delas que Roberto Costa chegou cedinho à agência no primeiro dia de trabalho, sentindo-se em casa ao ver a rapaziada do departamento de criação com roupas informais e cabelos longos como os dele”, mostra o livro, ao abrir o segundo capítulo. À época, depois de quase sair da empresa, Roberto acabou assumindo o desafio de levar a Propague a Blumenau. E foi no Vale do Itajaí que adquiriu sua primeira cota na agência. Em 1981, adquiriu por completo a propriedade da Propague.

“Buscamos a mensagem que toque o consumidor. A comunicação tem um elemento humano, e se você não conseguir atingi-lo com o coração e com a mente, pode usar a técnica que quiser que ela não vai funcionar. Essa era a cara da agência em 1962 e continua assim hoje: a Propague quer continuar conquistando corações e mentes”, explica Rogério Alves, diretor de criação e atual sócio da agência, junto com Patrícia Costa.

“A agência se impôs ao longo de cinco décadas porque sempre procurou ficar na vanguarda das mudanças para evitar envelhecer e se acomodar. Pelo contrário, sempre se renovou. Isso aconteceu quando o Antunes saiu, em 1978, deixando a empresa para sócios mais jovens, e a Propague continua adotando esse processo em busca da renovação permanente”, afirma Roberto Costa. E dentro desse espírito, recentememte contratou o publicitário Mário Paravisi para o cargo de vice-presidente executivo. “Esta é uma agência com 50 anos, mas com espírito jovem. Aqui ninguém fica bebendo no passado, a motivação por novos desafios, por novas histórias é muito grande. E manter vivo o espírito pulsante e inovador que a caracterizou desde a fundação é a meta principal de todos nós”, conta Paravisi, que já foi vice-presidente de negócios da agência DCS, em Porto Alegre, e ingtegrou a diretoria executiva da GAD’Red em Porto Alegre e São Paulo.

Para Roberto Costa, “a agência vive uma das suas melhores fases, oferecendo um trabalho que integra setores importantes para que seja feita uma comunicação completa. Nosso diferencial, ao lado da  criatividade que atinge resultados, é a atuação de nossos núcleos. Há 12 anos, criamos a Propague Promo, que cuida dos eventos de  clientes em todo o Brasil. Há quatro anos, lançamos a Propague Digital, e, há dois anos temos a Propague Trends em sociedade com Melina Costa, que faz um estudo aprofundado de tendências. Já a Best, trabalha com o marketing esportivo. Temos escritório em Blumenau e abrimos a Propague SP em dezembro de 2011, na capital paulista”, resume. A Propague conquistou nos últimos anos contas importantes como as da Cidade Pedra Branca, Costão do Santinho, Senior e Karsten. A agência atende ainda a Tractebel Energia, SC Par, SC Gás, S.O.S Cárdio e Badesc. “A Bunge é cliente da Propague há quase 30 anos, um verdadeiro case nacional”, lembra Roberto Costa.

Da história da Propague fazem parte o incentivo à cultura e uma forte atuação nas questões sociais. Foi na agência que nasceu o concurso Cidadã Samba, na década de 60, em Florianópolis. A Propague promoveu ainda o FIMC – Festival da Integração Multicultural Catarinense; o Festival de Outono Lagoa e o Santa Catarina Jam Festival, realizado no ano passado com artisas nacionais e internacionais do blues, jazz e bossa nova. Parceira da ONG FloripAmanhã desde sua criação, em 2005, a agência também colaborou com a criação de campanhas para a APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) e para a APAR (Associação dos Pacientes Renais de Santa Catarina).

“Sou cada dia mais feliz por ver que a pequenina e ousada A.S. Propague de 1962 continua prosperando, crescendo e honrando os princípios do bom negócio e da qualidade dos serviços”, diz Antunes Severo. Nas palavras finais do livro, “inovação e renovação sempre foram palavras de ordem na Propague. Mais, elas encerram a filosofia que a impulsionou desde o primeiro dia e continua a nortear seu caminho num mercado cada vez mais exigente, competitivo e disputado. Atualizada, reciclada, contemporânea, visionária, a agência catarinense descobriu o segredo da eterna juventude. E comemora seus 50 anos apta a incorporar o novo e se adaptar a qualquer época, enriquecida pela maturidade e a experiência adquiridas com a idade.” (Divulgação)

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *