Pulitzer anuncia “Reportagem de áudio” como nova categoria para 2020

Publicado em: 16/12/2019

A “Reportagem de áudio” (Audio Reporting) é a nova categoria do prêmio Pulitzer de jornalismo. Assim, podcasts e programas de rádio poderão ser premiados a partir de 2020.

“O renascimento do jornalismo em áudio nos últimos anos deu origem a uma extraordinária variedade de histórias de não ficção. Para reconhecer o melhor desse trabalho, o Pulitzer Board está lançando uma categoria experimental para homenageá-lo ”, disse a administradora do Pulitzer, Dana Canedy.

As organizações de notícias atualmente qualificadas para concorrer ao Prêmio Pulitzer – jornais, revistas, serviços de notícias e sites de notícias online que publicam regularmente – terão permissão para inserir histórias de áudio nessa nova categoria, assim como produtores americanos independentes e transmissão de rádio dos EUA pontos de venda.

Pontos de venda fora dos EUA não são elegíveis. As regras de elegibilidade para as outras 14 categorias de jornalismo permanecerão intactas.

Todas as inscrições devem seguir os mais altos princípios jornalísticos, incluindo o compromisso de honestidade com o público e com os assuntos. O fornecimento rigoroso e transparente será um fator importante no julgamento. O trabalho inserido deve ter sido exibido durante o ano civil de 2019. Perguntas frequentes com mais detalhes sobre o processo de inscrição estão disponíveis em Pulitzer.org.

Inscrições
O concurso para reportagem de áudio e todas as outras categorias de jornalismo será aberto em 16 de dezembro de 2019, e o prazo para todas as inscrições é 24 de janeiro de 2020 às 17:00, horário da costa leste dos EUA. As entradas de áudio devem ser enviadas sem publicidade prévia.

O prêmio
O Pulitzer Board, com 19 membros, é composto principalmente por jornalistas ou executivos de notícias de órgãos de comunicação social dos EUA, além de cinco acadêmicos ou pessoas do ramo das artes. O reitor da Columbia Journalism School e o administrador dos prêmios são membros sem direito a voto.

(Portal Imprensa, 16/12/2019)

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *