Acordar é difícil. Mudar, mais ainda

Publicado em: 01/08/2014

Quantas vezes se ouve e lê e vê tais considerações na imprensa enchedora de linguiça?

imagesHá dias pretendia escrever sobre o Mineiraço, o maior e ainda maduro Gran Bestemo da seleção.  Faz-se necessário lembrar alguns fatos, não só pelo fiasco, mas pelo mau futebol jogado em 90% das cinco partidas anteriores.

É notório que a brasileirada vive uma entressafra onde batata podre é craque. Realmente, afora os alguns erros de convocação, seria trocar seis por meia-dúzia…

Adiante, a questão técnica e motivacional. Via-se desordem mental antes, durante e depois dos jogos, fermentada por um técnico que merece tanto uma estátua na Arena do Grêmio quanto um pijama e pantufas. E quando se enfileiravam com o adversário, via-se um time de adolescentes contra um de adultos…

Por último a razão tática, a solar diferença entre a Alemanha e a Holanda, e os demais.  As “táticas” aqui ainda utilizadas são as mesmas da populacha do boteco: a crônica e a maioria dos que “treinam” no Brasil ainda se expressa como há 50 anos atrás. Observem os itálicos:

– na zaga, um xerife ou patrão da área;

– à frente um cão de guarda;

– dois meias (carpins?) que vão e voltam, voltam e vão, como o jargão machista…;

– um meia de ligação (cinta-liga?), o “8 e meio” que serve o centroavante, tal qual um atlético garçom;

– dois ponteiros que pegam a bola, vão à linha de fundo e chutam em direção à área e depois repetem, durante 90 minutos, la même chose;

– e o grande centroavante, que recebe a bola dos pontas ou serve de pivô para quem vem de trás (risos)…

Os amados e bem lembrados tempos do Dorinho, do Humberto Ramos, do Alcindo e do Dirceu Lopes, já se foram a MEIO-SÉCULO !!!

Acordem!Se fosse tão fácil, qualquer bebum de fim-de-linha teria profissão milionária.

No outro universo, quem diz, na ponta da língua, a escalação alemã? Quem era ponteiro, xerife, 8 1/2, pivô, centroavante, quem tinha a função tão fácil que uma criança entendesse em minutos, como o futebol ainda treinado por alguns experts?

Quando o time atacava, onde estava a bola havia um bando de jogadores fazendo círculos, sempre 3 ou 4 em torno dela, e outros, completamente fora do lance, movimentando sem parar… Desta forma, como a Argentina não o fez em 3 oportunidades, cansou de marcar e perdeu.

E nós, qual a escalação dos nossos times para o fim-de-semana?

Vai ter ponteiro de recuo, centromédio e meia-de-ligação?

Se ainda acreditam nisso, vão jogar botão, Fla-Flu ou colecionar figurinhas.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *