Rádio Clube São João Batista – 2

Publicado em: 10/01/2006

Reinert sempre quis ter seu próprio negócio. Mas, quando ganhou uma concessão não tinha os recursos para instalar a emissora. Recorreu ao apoio do ex-governador Aderbal Ramos da Silva para a compra do transmissor. A emissora entra no ar e permanece operando sem licença definitiva até 1961. Aí começa uma nova batalha.
Por Ricardo Martins

Em 1961 uma enchente danificou o transmissor da emissora. “Até hoje agradeço a Ivo Silveira, na época candidato ao governo, que sabendo das nossas dificuldades, concebeu-nos um empréstimo para o conserto do equipamento, para retomarmos os trabalhos radiofônicos”, reconhece Reinert.
Com poucos recursos financeiros e falta de pessoal qualificado, a Clube entra no ar das 10 da manhã à uma da tarde, das 15 às 16 horas e 30 minutos e das 18 às 19 horas, encerrando seus trabalhos após a Voz do Brasil. Somente após várias viagens à Capital Federal, na época Rio de Janeiro, Jener recebe das mãos do deputado e ex-prefeito de Florianópolis, Osmar Cunha, a licença para operar legalmente. “Após o nascimento de meus filhos, esta foi uma das maiores alegrias que já tive em minha vida: a rádio passa em definitivo a ser minha e de minha família”.


São João Batista tornou-se município em julho de 1958,
quando se desmembrou de Tijucas.

Vencida esta etapa, Jener começa uma nova batalha: a busca dos anunciantes. Por não ter empresas suficientes na cidade, Jener foi procurar apoio nas cidades vizinhas: Itajaí, Brusque e Blumenau. Várias empresas, acreditando no potencial da Clube, começam a divulgar seus produtos no veículo.
Um dos primeiros anunciantes foi “A Casa Coelho”, de Itajaí. A seguir começam a surgir os primeiros comunicadores que com uma linguagem simples transformam definitivamente o dia-a-dia de São João Batista. Mário Pessoa, Simeão Laércio Ramos, Zilton Vilanova, Ari Reinert, Onali Pereira de Melo, João Luís Ramos, Antero Alexandre, Tininho Marcos, Nilo Silva, Ismael Piper, Hamilton Cunha, Selma Silva, Nilton Silva, Jeter Reinert, Carminha e Luís Carlos Boos foram os principais.
Onali Pereira de Mello, um dos apresentadores mais extrovertidos da emissora falando do seu trabalho explica: “tudo é feito com muito carinho e respeito, pois sei que do outro lado há milhares de pessoas que me ouvem e acreditam no que falo”.
Ziltom Villanova, possuidor de uma voz incomparável e apresentador por muitos anos do Jornal da Clube, também conta sua paixão pelo rádio: ”mesmo exercendo a presidência de uma fábrica de calçados, não esqueço dos momentos que aqui passei. Certo dia, eu e alguns amigos fomos em uma tarde dançante no município de Major Gercino e para a minha surpresa, ao descer do ônibus, uma multidão aguardava-me para dar os parabéns pelo trabalho que fazia na Clube”.
Maria Círia Aragão Zunino, 55 anos, 14 dos quais na Clube, diz que a emissora é símbolo de orgulho dos profissionais e do povo, que podem contar com um veículo que informa e forma opiniões. Ela não esquece das inúmeras amizades que faz apresentando “Bom Dia Com Círia Zunino,” programa semanal que aborda temas do cotidiano, família, adolescência, educação, drogas, convívio social.
Vários ouvintes tradicionais, como, Domingos Farias, 45 anos, diz que além da lembrança do bairro de Colônia, em São João Batista, lembra que ouviu pela Clube a primeira transmissão de missa da emissora, celebrada pelo saudoso monsenhor José Locks. Moacir Carlos Dalbosco, morador da cidade de Nova Trento, recorda o tempo em que costumava sair de manhã cedo, levando os pedreiros e serventes para as obras na cidade de Blumenau. “Íamos ouvindo na Kombi a Rádio Clube até o sinal da emissora desaparecer entre os morros e, quando voltávamos nos fins de semana chegando no Vale do rio Tijucas, a primeira coisa que fazíamos era sintonizar a rádio”. A emissora teve outros programas que marcaram história: Clube do Ouvinte, A Clube com Você, Super Plá do NS, apresentado por Nilo Silva, Jornal da Rádio Clube, incluindo a crônica do dia e a inesquecível novela Valente, um eletro muito quente. O Show Dominical, um outro programa consagrado era transmitido ao vivo na sede provisória da Banda Musical, prédio onde depois funcionou a fábrica de calçados Tânia. Ele ia ao ar das 13 às 18h, com a participação de cantores, cantoras, jovens e crianças. Quem queria oferecer músicas tinha que pagar e o dinheiro arrecadado servia para o pagamento das contas de luz e água da emissora.
Com atrações locais, o programa era um verdadeiro sucesso. Osmar, seu Pedro, o trovador, e artistas como Valdomiro Santos, Carlinhos Moraes e Valter Cipriane, interpretando músicas mexicanas, faziam das tardes de domingos verdadeiros encontros com os ouvintes. O cantor Valter Cipriane, 61 anos ainda hoje lembra dos espetáculos que faziam. “Se pudesse eu voltaria àquele tempo. Vinham pessoas de todos os lugares da região para prestigiar os cantores. Cheguei a receber convite para tocar em um conjunto da cidade de Itajaí, após participar de um concurso e ter tirado o primeiro lugar na minha categoria. Eram mais de 20 músicas mexicanas, entre elas as inesquecíveis ”Que Sejas Feliz, Sete Léguas, Pú Nas Nuvens, todas do cantor Miguel Messias”, relembra Cipriane, com água nos olhos. Ele ficaria muito feliz se a emissora reeditasse o Show Dominical.
*Veja o perfil do Autor na primeira matéria desta série.
Na próxima semana: A Clube se envolve com a política.


{moscomment}

2 respostas
  1. ivani says:

    qeria muito saber porque que o secretario diz tudo serto mas falta medico principalmente nas area de tiroide eu mesmo ja faz mas de um ano que to esperando pra fazer exames e ate hoje nada e to com dois exame la faz mas de um ano e nada e vai falar na radio que ta bem medico de tiroide ele falou tempo de politica que vinha pra sao joão mas ate hoje ñão chegou nos temos esperando nei pra ir pra fora ele manda pois to com dois exames la ja esqueçeu faz mas de sete mes se tiver que morrer morre pois ele nei ta ai so manda esperar e sempre tem rassaõ o pobre é ralado

  2. luciana says:

    Não entendi o que está escrito, tem muitos erros de português, não tem virgulas e nem pontos….

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *