Rádio Cornélio Procópio, 61 anos no ar

Publicado em: 31/08/2009
Diretores e funcionários da emissora

Diretores e funcionários da emissora

A emissora vem “sustentando os mais altos índices de audiência na cidade e região, de acordo com todas as pesquisas feitas por institutos capacitados. No último levantamento feito pela Alvorada Pesquisas, por exemplo, a emissora aparece com 84% de audiência”, informa Isaac Vilela no site Agora Cornélio.

A Rádio Cornélio Procópio foi a terceira emissora a instalar-se na região Norte e a nona no Estado do Paraná. A ZYJ-210 (Rádio Cornélio) foi fundada em 16 de setembro de 1948, com o nome de ZYR-5 (Rádio Sociedade do Norte do Paraná). Sua instalação deu-se justamente na época em que a cidade de Cornélio Procópio era considerada a capital mundial do café e se destacava pela ousadia de seus pioneiros. Com potência de 100 watts, a programação podia ser ouvida apenas na cidade. A primeira voz do rádio procopense foi a da professora Mercedes Pavani que, com o pseudônimo Regina Márcia, passou apresentar a Ave Maria, programa que continua no ar de manhã e à tarde.

O primeiro estúdio, na Vila América, estava situado no mesmo endereço do transmissor. Anos depois, transferiu-se para avenida XV de Novembro, mais precisamente no prédio que hoje abriga Mário Ribeiro Contabilidade e o edifício Ramon Lopes. Depois se instalou na Rua Benjamin Constant, em um prédio preparado para auditório e palco, a então ZYR-5 iniciou os programas de calouros, rodeio caipira, momento de poesias e teatrinhos da garotada aos sábados e domingos.

Em 1956, a ZYR-5 passou a fazer parte das emissoras coligadas, uma rede de 32 emissoras que tinha como base a programação da Rádio São Paulo, a primeira do Brasil em radionovela. O Direito de Nascer, anos depois exibido na televisão, foi na época um verdadeiro campeão de audiência no rádio. Posteriormente, a ZYR-5 associou-se às Rádios Clube de Londrina e Difusora de Maringá, e passou a ser chamada de Rádio Cornélio Procópio S/A. A potência da emissora passou para 250 watts.
Em 1975, a Rádio Cornélio Procópio adquiriu um transmissor de última geração, ampliou sua potência para 1.000 watts e passou a ser ouvida em mais de 30 municípios da região. Deixou então de ser ZYR-5 para ocupar o prefixo ZYJ-210. Em 1990, a emissora passou a operar em sede própria, localizada na Rua João Carlos de Faria, 85, na divisa de dois importantes bairros de Cornélio Procópio (Vila Independência e Jardim Primavera), depois de ocupar espaço físico por vários anos no prédio da antiga Casa Americana, no centro da cidade. No ano seguinte, passou a transmitir em som estéreo, sendo a segunda emissora do Estado do Paraná e a décima primeira do Brasil a investir neste tipo de equipamento.

Sem a tecnologia da informática, as dificuldades eram enormes, mesmo assim, a Rádio Cornélio sempre levou a informação até o ouvinte tão logo ela ocorreu. Entre os fatos lembrados pela redação da emissora, destacam-se o atentado ao Papa João Paulo II em 13 de maio de 1981 na Praça de São Pedro, que chegou ao conhecimento dos ouvintes 10 minutos depois de consumado no Vaticano; o impeachment do presidente Fernando Collor de Melo e a morte do presidente Tancredo de Almeida Neves.

Transmitiu igualmente ao vivo os mundiais da Espanha em 1986 e do México em 1990 e partidas dos dois clubes locais: 9 de Julho e Comercial pelo Campeonato Paranaense da 1ª divisão. No aniversário de 50 anos da Rádio Cornélio – em 1998 – o atual diretor geral, advogado, radialista e jornalista Waurides Brevilheri dizia aos amigos e funcionários que o próximo passo seria a transmissão com som digital, fato que foi consumado sete anos mais tarde, ou seja, 2005 com aquisição de um moderno e potente transmissor que, em operação, melhorou em 100% a qualidade do som que chega até as casas dos ouvintes da emissora.

Em 61 anos de história, a Rádio Cornélio exportou grandes locutores para outras praças de maior porte, entre eles, Adelzão Alves que já trabalhou na Rádio Globo do Rio de Janeiro e hoje está na Rádio MEC; Hélio Claudino, narrador esportivo de emissoras importantes como Record e Gazeta e, hoje, na Tupi paulista; Walter Vidal, da TV Cultura de Maringá e Sebastião Marcos (Marcão), que faleceu ano passado no interior paulista. Paulo Santos, atualmente aposentado da Universidade Tecnológica Federal do Estado do Paraná (campus de Cornélio Procópio), também garantiu audiência da emissora nos programas que apresentou. Gustavo Biano que hoje trabalha em Campinas também iniciou suas atividades na emissora pioneira da cidade, a exemplo de Marcelo Villa que hoje comanda um programa jornalístico na RIC TV, com grande audiência nas regiões de Londrina e Cornélio Procópio. Há também Luiz Antônio Júnior (Didinha) trabalhando atualmente em Santa Catarina.

Em março de 2002, a Rádio Cornélio Procópio firmou parceria com a Rádio Jovem Pan, de São Paulo, privilegiando o jornalismo. Hoje, a emissora dedica mais de cinco horas de sua programação ao jornalismo. Nos 57 anos da Rádio Cornélio Procópio, o padre Zezinho esteve se apresentando com um show que lotou as dependências do ginásio de esportes XV de Fevereiro (Quinzão), no dia 13 de maio, apresentando um show para a família procopense e da região, porque a família Brevilheri está empenhada em fazer rádio para todos os segmentos, seja nos lares, comércio, indústria e no campo. A emissora transmite ainda a novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e a missa das 7h30m da manhã, diretamente da Catedral Cristo Rei.

Durante as comemorações do cinqüentenário da emissora, foi colocada uma placa alusiva na entrada da Rádio Cornélio com os seguintes dizeres: “HOMENAGEM À MEMÓRIA DAQUELES PIONEIROS QUE INICIARAM COM DETERMINAÇÃO E AMOR ESTE GRANDE INSTRUMENTO DE SOLIDARIEDADE, INTEGRADA PELA COMUNICAÇÃO. RÁDIO CORNÉLIO PROCÓPIO, UMA SEMENTE PARA UM MUNDO MELHOR”. (1948/1998).

Fonte: site Agora Cornélio.

3 respostas
  1. José Rocha says:

    Boa noite , gostaria de saber os nomes dos radialistas da rádio Cornélio Procópio do ano de 1967 .
    Essa informação é muito importante para um amigo que não conheceu seu pai.

  2. jose lagana says:

    A matéria é muito interessante. Fiz parte dessa emissora, entre os anos 196/1982, no jornal da manhã onde comparecida e atuava como comentarista das noticias veiculadas. Tive um programa 5 minutos com José Lagana, no qual nasceu a campanha “faça uma horta em sua casa” de grande sucesso, Tenho orgulho dessa participação!!! Obrigado Valrides.

  3. jose lagana says:

    A matéria é muito interessante. Fiz parte dessa emissora, entre os anos 1976/1982, no jornal da manhã onde comparecida e atuava como comentarista das noticias veiculadas. Tive um programa “5 minutos com José Lagana”, no qual nasceu a campanha “faça uma horta em sua casa” de grande sucesso, Tenho orgulho dessa participação!!! Obrigado Valrides.

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *