Radio Criativo 07

Publicado em: 04/04/2006

Rádio com Idéia
Alô, leitores e ouvintes imaginários, como hoje estamos no número sete, impar, nosso texto (locução) será sério (pero no mucho, diria Severo). O título “Rádio com Idéia” se refere ao tipo de rádio que se faz com conteúdo, com mensagem de gente para gente. Contrapõe-se ao rádio feito só com som (ou barulho), um rádio oco, o que pode ser chamado de rádio sem idéia. Vamos exemplificar os dois.
Por José Predebon

Nada como explicar partindo do exemplo, concordam? Então vou primeiro contar o caso do Friederick, alemão e amigo de amigos meus. E o caso dele eu transformei num daqueles textos de 500 caracteres, que podem ser lidos em 30 segundos. Aí vai.
OUVIR SEM OUVIR…
Friederick observava atento, com seus olhos azuis bem abertos, mas percebi que ele pouco pescava do que ouvia. Seu português precário não conseguia assimilar o falar rápido daquela senhora. Mas notei que de repente ele se despreocupou e seus olhos ficaram serenos, enquanto ele só fazia que estava entendendo, por educação. Depois, também por gentileza, perguntei se não o incomodava estar com alguém falando depressa daquela forma. Ele sorriu e disse que não, pois era a mesma coisa que ter ao lado um rádio ligado em um programa qualquer, sem obrigação nem interesse de ouvir.
Tratava-se de uma alusão ao rádio sem idéia, claro. E agora vamos ao exemplo do contrário, também em um caso transformado em texto de 500 caracteres.
APRENDI NO RÁDIO.
Sentado na cozinha humilde de uma casa da roça, eu ouvia aquela senhora muito simples contar sobre os conselhos que costumava dar a jovens, não só filhos seus, como parentes e vizinhos. Eram dicas de como viver melhor, como vencer, como encaminhar-se no mundo. Perguntei se ela gostava de livros, disse que quase nem sabia ler. Fiquei imaginando como uma pessoa que, estava claro, nunca tinha tido escola, poderia ter desenvolvido aquele discernimento sábio. Dei um pouco mais de corda, e a resposta veio logo, bingo. Ela era ouvinte de programas de auto-ajuda, que levava a sério.
Caros leitores ouvintes, depois de deixar meu recado sobre dois tipos de rádio que existem, termino esta coluna falando agora sobre idéias, e também com uma “pérola” de 500 caracteres. Até a próxima oportunidade, pessoal, nesta mesma emissora e horário.
Idéias?

Sem elas nada acontece, por elas lutamos, com elas nos realizamos. Contudo, idéia em  si é como farinha do bolo, vale quase nada, se não soubermos aproveitá-la, se não tivermos ânimo para defendê-la. Guardar farinha e passar fome é o que a maioria faz, alimentando os carunchos da mediocridade, polvilhando o caminho nos normativos que se escondem atrás das regras, estas feitas sem muita farinha, e sem a cobertura e o morango do bolo. Idéias as temos, que só isso nos faz humanos. Mas precisamos aprender a usar a imaginação, largando o escudo confortável do dizer “não sou pessoa criativa”.
(técnica encerra o programa)


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *