Rádio, o som da liberdade

Publicado em: 16/01/2009

Quatro ocorrências aparentemente aleatórias mexeram com a minha curiosidade nos últimos sete dias e, então, resolvi comentar com você, caro leitor-ouvinte.

A primeira, é a frase que dá título a esta matéria. Ela veio em espanhol: La Rádio, El sonido de la libertad.  Esse é o slogan que abre a página do portal da Câmara Venezuelana da Indústria da Radiodifusão. A Câmara é uma associação civil sem fins de lucro, com personalidade jurídica e patrimônio próprio. A entidade foi fundada no dia 17 de Abril de 1950 pelas 45 emissoras existentes na Venezuela com “o objetivo de orientar e dar maior expressão à importante função que cumpre à radiodifusão no país”.

A segunda, é o comentário do Jair Brito ao final de um de nossos papos pela Web: “Ah! A propósito de rádio, os inteligentes devem se unir, urgentemente. Daqui pra frente, rádio tem que ter muito conteúdo”.

A terceira, é mensagem da internauta Rosângela Meletti: “Bom dia! Sou filha do Osmar Meletti e vivo em Paris desde 1982! Foi um prazer ler um artigo sobre a “Musica da Guaíba” neste site que me foi sugerido por um amigo ontem à noite! Muito obrigada!”

E a quarta, é o convite para falar durante a apresentação do quadro Momentos do Rádio apresentado pela Rádio FM da Assembléia Legislativa do Estado do Ceará. A programação da emissora é toda ao vivo, tendo a maior parte do tempo do horário matutino dedicado a entrevistas. Fui convidado a falar sobre o Caros Ouvintes. Fiquei encantado com o que eles conhecem a respeito do nosso trabalho e a importância que atribuem ao estudo e à pesquisa do rádio.

Depois desses registros fico pensando cá com meus botões: “Puxa, mais do que o tamanho do que se faz, o que mais importa é a qualidade do que se faz”. Faz sentido?

Links para você ampliar sua informação sobre estes temas:
http://www.camradio.org/
http://www.carosouvintes.org.br/blog/
http://www.al.rs.gov.br/anais/49/Plenario/1997/970430.htm
http://www.al.ce.gov.br/

1 responder
  1. J.Pimentel says:

    Claro que tudo isso faz sentido. O rádio é mesmo o som da liberdade e, mais do que isso, da obstinação. Mesmo maltratado, ainda é o mais instigante e importante meio de comunicação. Sobre o comentário de Jair Brito, essa é a saida para o rádio e ele é um desses mentores, um artista raro cuja história é seu melhor referencial.Creio que se poderia criar um consórcio de coordenadores/consultores de rádio, liderado por Brito e vender idéias para os radiodifusores. Talvez ousar um pouco mais e buscar investimenos para uma rede de rádio criativa e abrangente. Quanto ao Ceará, estado onde trabalhei durante todo o ano de 2008, fiquei encantado com o trabalho de alguns companheiros radialistas e com a paixão que o cearense tem pelo rádio. No entanto, o meio rádio de lá padece também dos mesmos males do resto do país: descaso, falta de criatividade, excesso de programas religiosos e profissionais mal remunerados.A rádio da Assembléia é bem feita, tem um bom noticiário, bons locutores, uma seleção musical de bom gosto, mas não inovou nada. Utiliza bem as formas antigas de fazer rádio. Poderia ousar um pouco mais.Era, juntamente com a rádio Tempo, meu oásis no dial. Sobre CAROS OUVINTES quero reafirmar o que sempre pensei: é um orgulho para nós, radialistas ter um canal tão democrático e tão abrangente de comunicação que mostra a intensidade de nossa atividade e consegue externar a paixão dos radiodifusores. Parabéns.

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *