Rádio Pinel

Publicado em: 10/02/2008

É na vida social, e somente nela, que se verifica o fenômeno da comunicação, pois algo só é posto em comum se existem, pelo menos, dois indivíduos participantes da operação. Sabemos que, como ser vivo, o animal se informa e se exprime.
Por Antonio Paiva Rodrigues

Contudo, essas funções biológicas diferem, em grau, da produzida pelo vegetal em razão de três propriedades que constituem pré-condições para o exercício da mais elementar forma de comunicação, a saber: capacidade locomotora, capacidade sensorial e capacidade psíquica. Estas são propriedades inerentes ao ser humano.
Quando você faz bom uso das habilidades de raciocínio, sabe com antecedência onde quer ancorar você mesmo e os outros. Para influenciar os outros, você precisa de um ponto de partida para a comunicação: palavras e aposições de bom senso de que gosta de levar as coisas á sério.
O rádio é um veículo de comunicação que transmite programas de entretenimento, educação e informação. Música, notícias, discussões, informações de utilidade pública, programas humorísticos (não confundir com palavrões e pornografia), novelas, narrações de acontecimentos esportivos e sociais, entrevistas e cursos são os gêneros básicos da programação radiofônica.
Estas considerações vêm à propósito do que ultimamente tem se ouvido no rádio: expressões de duplo-sentido, palavras de baixo-calão, baixaria e até mesmo a pornografia se faz presente. Entretenimento nunca significou fofocas, nem baixaria. A fofoca está impregnada nos meios de comunicação e tem muitos fofoqueiros passando-se por comunicador e ganhando muitos reais falando da vida alheia, como se eles (as), os (as) fofoqueiros (as) fossem as pessoas mais perfeitas do mundo. 
No BBB (Big Brother Brasil) surgiu entre seus participantes a idéia de criar uma rádio de nome Pinel, que logo foi aceita pelo apresentador do besteirol.
Com o rádio não se brinca; é preciso que fique bem clara essa assertiva. Será que os BBB querem ouvintes e telespectadores alienados? Ou eles estão alienados de tantas discussões, tramas, excesso de álcool, baixarias, desde cenas eróticas até vadiagem? Qual a cultura que o BBB repassa para os telespectadores? Nenhuma! Agora com a Rádio Pinel todos vão ficar loucos, enfurecidos como já está acontecendo com os participantes.
Mesmo que em tom de brincadeira, o rádio tem sua importância, seu valor cultural, mas o que diriam Marconi e o Padre Landell de Moura se fosse vivos e ouvissem tamanha aberração? Ficariam desiludidos com as escatológicas programações. Meu Deus num País continental onde milhares de rádios estão funcionando os apresentadores estão dando as suas ‘pineladas’, sem dó nem piedade!
Senhores radialistas, é preciso tomar uma posição urgente, visto que as programações são cada vez piores, com raras exceções. Temos que assumir a posição de comunicador sério e responsável, lutar pelos interesses da classe, o rádio é uma concessão pública e não pode ficar a mercê de seus concessionários, políticos e empresários.
O radialista brasileiro precisa ser mais valorizado e já se faz necessário à ampliação de cursos superiores para formar radialistas de qualidade. Retirar de circulação aqueles que arrendam horários nas emissoras de rádios e televisão para repassar o seu programa pinel. Devido a esses malfadados horários muitos jornalistas estão desempregados.
Sabemos da luta titânica de bons profissionais que só ganham se conseguirem grandes publicidades para as emissoras de rádio, e ainda sofrem por não possuírem carteiras assinadas. Os Sindicatos dos Radialistas pecam por omissão, pois não valorizam os melhores profissionais.
Enquanto o tempo passa a ameaça da Rádio Pinel está aí. 
Senhores radialistas exijam o que é de direito de vocês e acionem seus sindicatos e vamos lutar por uma radiodifusão de qualidade e deixar as indecências de lado.
A overdose de religião precisa ser examinada urgentemente pelo Ministério das Comunicações, tanto no rádio, como na televisão, pois existem tubarões com patrimônios incalculáveis, mansões portentosas, enquanto os fiéis doam até o último real que possuem.
E para finalizar: onde está a Receita Federal que não atentou para esse fato? Olhem que já existem emissoras de televisão (Pinel) funcionando a todo vapor e ninguém se deu por conta.
 


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *