Rádios na Internet – Outras Descobertas

Publicado em: 16/08/2009

Em meu último post comentei sobre meu desencanto com as Rádios Web, praticamente o mesmo desencanto com as poucas transformações importantes no rádio aberto de maneira geral. Nossa amiga Vera, do GPR comentou sobre as rádios WEB do sistema GLOBO como exemplo de bom aproveitamento do novo meio.

Vou falar sobre isso, mas meu objetivo no artigo anterior foi o de garimpar as experiências criadas pelas pessoas que acreditam saber muito sobre rádio e, quando tentam, notam que é preciso muito mais do que boa vontade.  Procurei pinçar desses esforços isolados, algumas idéias que achei mais interessantes, mas a pesquisa não termina ai. Foi só o começo.

Segundo o portal Tudoradio.com, há cerca de cinco mil estações brasileiras operando na internet. Destas, 95% podem ser classificadas como fundo de quintal, ou seja, programações frágeis, sem conteúdo ou cuidado.

Mas, para não ser parcial nas minhas observações fui buscar nas grandes corporações também, as opções que elas oferecem para seus ouvintes online.  Posso assegurar que, mesmo bem feitas, não há nada de criativo ou novo.

O Portal UOL oferece rádios segmentadas, de sucesso e até clássicos. São dezenas de canais, com musica, sem qualquer outro trato ou cuidado. O Portal TERRA também oferece muitos canais de música através de seu portal SONORA, mas nenhum pode ser considerado “Rádio”.

Todas essas experiências não passam de vitrolões virtuais e são tantas as opções que, cá entre nós, ninguém ouve.

Das rádios do Sistema Globo destaco as rádios SPORTV MUSIC, GNT e MULTISHOW. São bem feitas, com gêneros musicais diversificados e os mesmos problemas das outras rádios web: ou são automatizadas ou repetem os mesmos vícios das rádios abertas populares, sobretudo com a superficialidade dos apresentadores, quando eles existem. Vou me prender apenas às rádios principais do sistema. A Globo mantém também rádios corporativas, especiais e por gêneros musicais. São dezenas de canais como os outros portais.

Numa rádio com a marca SPORTV, por exemplo, você imagina que vai encontrar os melhores repórteres falando dos clubes, grandes entrevistas com desportistas, as últimas noticias de todos os esportes, coberturas dos esportes alternativos, interação com o ouvinte, blogs, a utilização do amplo material captado pelas equipes da televisão e jornal e por ai em diante. Mas concluíram que a rádio deve transmitir música para a garotada, presumindo que é apenas a juventude adepta de esporte e que essa juventude gosta apenas daquele tipo de música.

A Multishow fez a viagem ao contrário. O Canal Multishow, na televisão, nada mais é do que uma rádio musical com imagens e muitas atrações.  Ela aproveitou seu sucesso na TV para colocar na net esse extraordinário acervo musical e de shows que nem todos podiam acompanhar pela TV. Talvez tenha sido a adaptação para WEB mais feliz da Globo.

A GNT não acrescentou nada ao que já é feito nas rádios abertas do Sistema Globo de Rádio. Outra mesmice com alguma pretensão intelectual.

Nessa busca, encontrei também as experiências da Agência Radioweb que cria e produz para corporações. Ela mantém a Radio Indústria, Radio OAB, Rádio Câmara Municipal e Rádio Via, todas em Porto Alegre. A mesma Agência Radioweb tem uma rádio online muito interessante, bem feita, a “Vitrola Brasileira”, com uma seleção musical impecável, mas como todas as outras, híbrida, automatizada, sem calor humano.

Vale a pena também conferir algumas outras emissoras online, uma delas bem interessante pela seleção musical magnífica, que emociona quem gosta de música sertaneja de raiz. É a “Rádio Viola Viva” – Um projeto realizado em Minas Gerais que conta com o apoio comercial de, pelo menos, quatro grandes empresas que viabilizam a rádio. Se sua seleção musical emociona, a locução, que inclui hora certa, também é toda automatizada, formal, séria demais.

Para quem gosta de rock pauleira, a Rádio Web Putzgrila. Antenada com seu nicho musical tem também um site malucão, bem ao gosto de seu público e interação com o ouvinte com os recursos que a internet oferece.

Uma rádio que merece ser ouvida é a Rádio FUNARTE, um alívio para ouvidos maltratados. Ela tem vários canais: Popular, Erudito, Folclórico e Institucional. Ouvi mais longamente o canal popular e me emocionei com as músicas brasileiras magníficas que apresentaram e que nunca havia ouvido em qualquer outra rádio de MPB. Como todas as outras, as falas são gravadas, uma mistura de vozes e ritmos de locução totalmente descontrolados, mas há um cuidado com a produção. Cada música é contemplada com informações e um destaque poético de sua letra. Com a seleção musical que apresentam poderiam ter o cuidado de trabalhar melhor a comunicação para encantar ainda mais o ouvinte. Outra vantagem é que no visor da rádio pode-se identificar o que está sendo apresentado.

Outro destaque na WEB são as rádios corporativas Indoor. São empresas que fazem rádios sob encomenda para supermercados, lojas, fábricas e grandes escritórios. Os provedores elaboram a programação, gravam as promoções, os anúncios ou o que o cliente indicar e podem ser modificadas em questão de minutos via internet. Comercialmente é uma boa idéia para quem trabalha com as rádios online.

Podem comentar que estou ficando velho, que fiquei saudosista, que meus conceitos estão superados e que os tempos hoje são outros, mesmo estando eu antenado com o mundo e o que se produz neste nosso meio. Tudo isso é verdade, mas, como no amor as sensações não mudam com a idade. Continuo acreditando no bom gosto, na beleza, no cuidado com o ouvinte. Creio que nada substitui o impacto da surpresa, da rádio bem feita, da sensibilidade de quem cria, produz e transmite com talento.

Acho fantástico sintonizar num aparelho comum, portátil ou não, com fone de ouvido ou em alto-falantes, uma emissora de rádio agradável, e me deparar com bons comunicadores, com uma seleção musical bem elaborada, equilibrada, com balanço e as necessárias curvas melódicas. A cada nova música, o ouvinte deve se surpreender, se encantar com o que está ouvindo e que não esperava. Cada momento, cada evento, deve ser uma grande e agradável surpresa. Uma rádio feita com bom gosto, bons e criativos comerciais, vozes bonitas e bem colocadas, comentários inteligentes, observações oportunas, coisas indispensáveis ao bom rádio e até agora, na minha humilde opinião, ainda essenciais. Foi sob estes pontos de vista que fundamentei minhas análises e as transmiti a vocês. Confiram e apontem suas sugestões também.

4 respostas
  1. Júlio Balsini says:

    Uma excelente rádio, que está fora do ar no Brasil é a pandora.com
    Indico a minha rádio de jazz e música instrumental brasileira: http://www.radioon.com.br

    Acho que quem produz rádio online, tirando os grandes portais, depende de tempo e investimento para poder disponibilizar recursos para os internautas. Acho que uma saída para manter a qualidade da rádio é segmentar. Não tem como ser bom em tudo.

  2. Edmauro says:

    Mais uma vez, um texto que gostei muito, parabéns!

    Nessa ocasião, achei muito pertinente o seguinte trecho:
    O Portal UOL oferece rádios segmentadas, de sucesso e até clássicos. São dezenas de canais, com musica, sem qualquer outro trato ou cuidado. O Portal TERRA também oferece muitos canais de música através de seu portal SONORA, mas nenhum pode ser considerado “Rádio”.

    Concordo plenamente e ainda digo mais, me lembro que existia um tal “Usina do Som” e nem sei se ainda existe, mas era a mesma coisa, porém, foi nos primórdios da internet no Brasil.

    Eu nunca parei pra ouvir essas “rádios” e vou lhe dizer como as vejo:
    Pra mim, colocaram o nome rádio por não possuírem outro nome de apelo tão fácil, afinal, o certo seria, por exemplo, “Playlist Musical UOL” ou coisa do tipo. Devem ter achado melhor evitar um nome assim e disseram: “chama isso aí de rádio mesmo e tá tudo certo, bem mais fácil do público entender”.

    Não aceito como rádio qualquer sistema semelhante, sem locução, sem vinhetas. Sendo assim, vejo apenas como oportunismos, estratégias de marketing ou o nome que quiserem dar pra essas artimanhas.

  3. simone ritter says:

    Ola, sou atriz e locutora da época que se operava rádio com os indefectíveis cartuchos!!!
    Achei oportuna e bacana a sua critica.
    Um abraço
    Simone ritter
    Master voice – home estudio
    By Floripa
    MSN.: [email protected]
    P.S.: Envio locuções on-line pra todo Brasil e exterior.

  4. TETEU says:

    GOSTRAIA DE OUVIR A MÚSICA DO HAMYLTON E SEUS TECLADOS
    AQUELA MÚSICA
    LOUCA QUASE SANTA
    COM HAMYLTON E SEUS TECLAODS

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *