Rápida e “gostosa” viagem ao Sul!

Publicado em: 13/04/2009

Como é bom rever amigos e revisitar lugares que trazem boas e caras lembranças. Passei um fim de semana muito movimentado em Curitiba. No dia 27 de março participei de um evento que marcou a apresentação do DVD do meu depoimento sobre minha carreira profissional.

A sala Kastrup do Cinevideo estava lotadíssima de antigos companheiros do rádio e TV do Paraná, um encontro de gente que ainda está (ou não) na ativa, o que muito me emocionou. Alguns deles há um tempão que eu não via.

A ideia de captar depoimentos (som/imagem) de gente que tem história no rádio, na TV, no teatro, no cinema e no jornalismo paranaense, está sendo impulsionada pelo multimídia Renato Ribas, por meio de sua empresa Cinevideo.

Ele banca esse trabalho, sem nenhuma ajuda oficial de governos (municipal, estadual ou federal) que já rendeu mais de 50 registros em DVD, material que fica à disposição de alunos de cursos superiores da área de comunicação.

O presente não vive sem o passado e o futuro depende das experiências de ontem e de hoje a fim de sedimentar novos caminhos. Por isso, me sinto honrado em ter sido convocado para falar sobre minha atuação no rádio curitibano nas décadas de 1950/1960.

E espero que o conteúdo do meu depoimento possa ser útil para as futuras gerações de profissionais do meio, ao mesmo tempo em que agradeço aos meus colegas Renato Mazânek e Elon Garcia, que me entrevistaram para a feitura deste DVD.

Em Curitiba ainda, o ex-radiodifusor Ronald Stresser (rádios Ouro Verde, Colombo e TV Paraná) me ofereceu um jantar no Graciosa Country Club, ao qual também compareceram os companheiros de rádio e TV Vinícius Coelho, Felipe Engler e Dide Bettega.

A soma de anos dos currículos dos cinco integrantes da mesa é superior a 25 décadas, motivando um remember de fatos e causos bem interessantes por nós vivenciados. Um dos causos recordados foi o do possível comprador da Rádio Marumby.

Dide Bettega, hoje empresário dirigente das rádios Caiobá, Ouro Verde (FM) e Difusora (AM), anos atrás levou um senhor interessado na aquisição da Marumby até o local de seus transmissores. Feita uma visita ao parque técnico, Dide pediu ao matuto improvisado operador que mostrasse o principal transmissor por dentro.

Ao abrir sua porta, viu-se uma resma de alho pendurada na parte inferior do equipamento. Assustado, o pretenso comprador perguntou o porquê daquela inusitada prática. O matuto saiu-se com esta: “Despois que punhamos as resma ali a rádia nunca mais saiu do ar…”

No sábado, dia 28, 11 horas, tendo por local o antigo parque do Passeio Público, ocorreu o lançamento do livro de Dante Mendonça, Curitiba: Melhores Defeitos, Piores Qualidades, da Bernúncia Editora (de Florianópolis). “Orgulhosamente, este locutor que vos fala” aparece no livro com a história do famoso quarteirão curitibano que reuniu seis emissoras de rádio e um causo envolvendo o radialista Mário Vendramel.

Até o sol ir embora, muita gente famosa, amigos e colegas do autor passaram lá no agradável ex-Bar do Pasquale, como Jaime Lerner (ex-prefeito de Curitiba e ex-governador do Paraná), ele que é o responsável pela apresentação deste novo trabalho editorial do famoso cartunista e cronista catarinense radicado em Curitiba, uma biografia não autorizada da cidade. “Brigadu” pela minha parte.

Depois, fui homenageado com um churrasco amigo na casa de Osnyr Méier, advogado de causas ligadas ao rádio e à TV de lá, que se prolongou até o começo da noite. Minha filha Maricelia, meus netos Filipe Marcel, Mayara, Ryanna e eu curtimos muito a variedade de carnes assadas pelo anfitrião.

De domingo a domingo, já em terra catarinense, contemplei e me esbaldei na praia de Laguna e numa lagoa que fica em Ibiraquera, perto do município de Imbituba. Junto com meus parentes, apanhei muito sol e comi muitos frutos do mar, que ninguém é de ferro, com só dois intervalos:

Depois da entrevistaO primeiro, para uma entrevista na UNISULTV, de Tubarão, no programa Mais Mulher, da bonita e inteligente apresentadora Sibéle Cristina, e o segundo, para um almoço com Dr. Werner Backes e sua esposa Marion, em Criciúma. Famoso na região do carvão, ele foi secretário-executivo da Ordem dos Advogados do Brasil, tempos atrás, quando eu coordenava a comunicação da OAB.

 

Comemoramos exatos 53 anos de uma sólida amizade

Comemoramos exatos 53 anos de uma sólida amizade

Finalmente, segunda-feira, dia 6 de abril, cheguei em Floripa para um encontro com Antunes Severo, presidente do Instituto Caros Ouvintes, gerador deste site que abriga apaixonados por rádio e TV. Conheci o Pangaré em Curitiba na metade dos anos 1950. Depois disso, com ele já radicado em Florianópolis, nos vimos poucas vezes, a última vez em março de 1964, antes da ditabranda (sic), segundo a Folha de S. Paulo.

Fazia 45 anos que a gente não se cruzava, mas sempre se gostando… E muito. Foi uma “hemorragia” de prazer rever o grande amigo e sua mulher, a Preta. E, por mais de três horas degustamos um monte de ostras num simpático restaurante localizado no bairro de Santo Antônio de Lisboa. Depois, acompanhados pela jornalista Cristina Viegas que agora mora na capital catarinense e já aprendeu a falar can-ta-din-ho, fomos ao encontro de Cláudia Zininha Barbosa, filha de Zininho. No centro da cidade. Cafezinho com direito a uma sessão de recordações. Que bom.

Faltou tempo para rever outros amigos que residem em Florianópolis. Mas, prometo, retornarei brevemente porque Santa Catarina continua sendo um amor e este Catarina de Joinville não quer perder o contato com a gente amiga de sua terra.

Em Joinville, visitei a Rua Ypiranga, que mudou de nome e passou a ser chamada de Rua Dr. Plácido Olímpio de Oliveira, em homenagem ao advogado, promotor público, deputado estadual, deputado federal e ex-prefeito da cidade, na qual ainda existe a casa onde nasci. Isso me faz concordar com os versos de Helena Kolody: As ruas não são as mesmas. E são outros os passantes. Mas devemos sempre cultivar as coisas bonitas de nossas vidas.

“Em vão percorro a cidade / com meus olhos de antes / As ruas não são as mesmas / E são outros os passantes”. Helena Kolody, consagrada poetisa paranaense

Rádio do futuro…

“Com a internet, o rádio ganhou força, popularizou-se”. Santiago Alves de Siqueira

“O rádio não vai morrer, mas acredito que vá se transformar – e que isso não vai demorar em acontecer.” Anderson Diniz Bernardo

“Tecnologia sem idéias não vale nada. Tecnologia e excesso de idéias podem atropelar o principal interessado, o ouvinte.” J.Pimentel

Caros leitores ouvintes continuem enviando opiniões sobre o Rádio do futuro, que serão postadas aqui.

3 respostas
  1. J.Pimentel says:

    Maravilhoso poder fazer viagens ao passado, rever amigos, recordar sonhos e dimensionar nossos sucessos e decepções. Esta postagem me faz lembrar que também preciso fazer isso algumas vezes, porque sinto saudade, porque tive e tenho amigos inesquecíveis, porque é muito bom ser radialista e ter amigos que também gostam do rádio. Afinal radialista só muda de assunto se o assunto seguinte for rádio também…. grande abraço.

  2. EULAMPIO VIANNA FILHO says:

    Quero mandar um abraço a este grande radialista JAIR BRITO onde me espelhei. JAIR hoje sou um verdadeiro RADIALISTA APAIXONADO aponsentado mas… na ativa tenho feito varios eventos para produtora de Curitiba principalmente futebol para Esport TV. como Diretor de Tv.JAIR muitas saudade da epoca da INDEPENDENCIA onde tive o prazer de labutar com o companheiro. Ve se reconhece esta esta foto, esta mesa de som… Lembra… Abraço JAIR BRITO …

    A foto esta anexa no website

  3. Paulo Cosme says:

    QUERO DEIXAR O MEU ABRAÇO GRANDE MESTRE J.PIMENTEL,QUE QUANDO PASSOU POR SALVADOR,bAHIA, DEIXOU DEZENAS DE SEGUIDORES, PLANTOU A SEMENTES DA ÉTICA,PROFISSIONALISMO E O SEU AMOR PELO RÁDIO.E MUDOU O PENSAR DE MILHARES DE OUVINTES.
    A 23 ANOS QUE NÃO O VEJO,CONTINUO NA PROFISSÃO E SOU MUITO GRATO.
    UM ABRAÇO MEU MESTE.

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *