Rede doméstica

Publicado em: 17/08/2012

Milton – Bom dia, Ethevaldo. Como vai? Ethevaldo – Bom dia, Milton; bom dia, ouvintes. Tudo ótimo. Milton – Ethevaldo, sexta-feira é dia antecipar o futuro. Você prometeu falar hoje falar sobre as redes domésticas de 2020. Ethevaldo – Essa rede ainda é sonho, Milton. Ela faz parte de nossa casa digital do futuro. Mas não é uma ficção gratuita. É apenas uma visão antecipada do que viveremos, de verdade, daqui a oito ou dez anos, pois a tecnologia que vai viabilizá-la já existe. Com a evolução tecnológica, você poderá armazenar todos os seus conteúdos, digitalizados, num único servidor, com capacidade para milhares de terabytes. Imagine, então, uma casa onde todos os CDs, DVDs, blu-rays, documentos, fotos, vídeos, agendas, programas e aplicativos estejam armazenados digitalmente num grande servidor, ou, melhor ainda, numa nuvem particular. Milton – E como teremos acesso a esse conteúdo? Ethevaldo – Através dos terminais da rede doméstica, que poderá combinar a capacidade extraordinária da fibra óptica com a das redes do tipo WiFi ou UWB (Ultra wideband). Em cada cômodo da casa, você terá um terminal com telas de todos os tamanhos, super alta definição e, em certos casos, 3D. Na casa inteligente de 2020, Milton, todos os equipamentos e eletrodomésticos se comunicarão. E o comando de todos esses dispositivos será o mais fácil e simples. Você comandará sua máquina de lavar com a tela de seu smartphone ou tablet. Poderá falar com os terminais de vídeo ou comunicar-se simplesmente por meio de gestos. Nessa casa, você vai falar até com as portas e paredes. E elas entenderão o que você disser. Que tal viver numa casa inteligente com todos os recursos de multimídia integrados através de uma rede doméstica de alta capacidade desse tipo, Milton? Milton – Até segunda.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *