Roberto Landell de Moura e os três inventos pioneiros no universo do áudio

Publicado em: 06/09/2012

Ele desenvolveu, experimentou, demonstrou e patenteou, faz 111 anos, o Transmissor de Ondas, o Telefone Sem Fio e o Telégrafo sem Fio.

Quando o cientista Landell de Moura fez as primeiras demonstrações de uso das ondas de rádio para transmitir sons, no final do século 19, no interior do Rio Grande do Sul e depois em São Paulo, foi logo tachado de insano: louco varrido mancomunado com entidades diabólicas. A repulsa do clero de imediato contaminou os conservadores que detinham o poder político. Com isso o Brasil perdeu a primazia no registro das patentes internacionais necessárias para confirmar a autoria das descobertas. Embora reprimido pela cegueira dos credos religiosos – que já haviam ultrajado Galileu Galilei há mais de 400 – o padre Roberto Landell de Moura, persistiu em sua obra hoje felizmente reconhecida pelo trabalho de pesquisadores da sociedade civil quando estamos comemorando os primeiros noventa anos de radiodifusão no Brasil.

As pesquisas de Landell de Moura envolvendo experimentos com ondas eletromagnéticas foi pioneiro, tendo possivelmente sido o primeiro a transmitir a voz humana por rádio com sucesso no planeta.

Landell de Moura, depois de muitos obstáculos conseguiu patentear seus inventos tanto no Brasil como nos Estados Unidos. No Brasil, obteve a patente n° 3.279, em 9 de março de 1901. Nos Estados Unidos, recebeu, em 11 de outubro de 1904, a patente de número 771.917, para seu “Transmissor de Ondas” e, em 22 de novembro do mesmo ano, as patentes de número 775.337, para seu “Telefone sem Fio”, e 775.846, para seu “Telégrafo sem Fio”. Enfim ele desenvolveu, experimentou, demonstrou e patenteou, faz 111 anos, as facilidades que hoje usamos em nossos celulares e nos experimentos que nos levarão à Era da WebAudio.

Por ocasião dos 150 anos de seu nascimento, celebrado em 21 de janeiro de 2011, o Padre Landell de Moura teve seu nome inscrito no Livro dos Heróis da Pátria, através da Lei Nº 12.614, sancionada pela Presidência da República do Brasil em 27 de abril de 2012. (Com informações Wikipédia)

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *