Rompendo Fronteiras

Publicado em: 20/06/2004

Rádios Guarujá e Diário da Manhã ligavam a Ilha aos mais distantes pontos do planeta. Correspondência do dia afina a sintonia.<P>Severo, eu tenho aqui em casa um papel timbrado da Rádio Diário da Manhã. Entre outras coisas está escrito: “Radio Diário da Manhã: para o Brasil e para o mundo”. E depois há três prefixos: ZYT-26, ZYT-29 e ZYT-30. Você poderia me explicar isso? E qual é mesmo a freqüência da Diário? A minha única dúvida é em relação aos 1010 KHZ de freqüência na ondas medias da RDM. É isso mesmo? E atualmente qual é a freqüência da CBN Diário? Ricardo.</P>
<P>Ricardo: foi bom você tocar nesse assunto. Conversei com o Lourival Bruno – o técnico que montou a rádio e ainda está na ativa. A freqüência inicial da Diário em ondas médias era mesmo 1010 kilohertz. Quanto aos prefixos ZYT-26 é da onda média, ZYT-29 é da onda curta e ZYT-30 da FM. Hoje a atual freqüência da onda média é 740 Khertz e o prefixo é ZYJ-753.</P>
<P>Severo, to gostando e muito desta tua forma de conduzir as coisas.&nbsp; Você está que é um galo ao lado dessa turma batuta: Júlio e Letícia. Amigo, acho uma boa idéia o texto sobre a contextualização da cidade. Toca ficha nisso. Tens 101 por cento de apoio da minha parte. Abraços. Ricardo<BR>PS – Você conseguiu dar uma olhadinha na história do prefixo da RDM e de sua freqüência? </P>
<P>Severo: tudo bom? O negócio é o seguinte: não tenho nenhuma objeção à captação de recursos via Ministério da Cultura. Pelo contrario, acho ótimo. Toca ficha.&nbsp; Era sobre este assunto que você gostaria do meu parecer?</P>
<P>A baixo, tento dar a minha contribuição sobre quem deve ser entrevistado em cada emissora. Lembrando que a todo o material recolhido será acrescido o que eu consegui juntar, okei? E mais o teu material. Afinal de contas você é uma das pessoas que têm mais autoridade para falar sobre aquela época. Não é por acaso que volta e meia eu peço um socorro à você. </P>
<P>Ah! Severo. Não acrescentei nomes em relação à Diário da Manhã, pois penso que você listou bem os nomes. Precisamos ouvir:</P>
<P>Rádio Anita Garibaldi:<BR>Nilson Mello. Como ele produzia os seguintes programas na Anita Garibaldi: Carta Sonora, Luzes da Ribalta, Escravos do Passado, Eles são Assim Mesmo, Contraste, Seqüências César Sobrinho. Também precisamos falar com ele sobre radioteatro.</P>
<P>Cyro Barreto. Como era sua participação nos programa Fim de Noite Musical e seu lado como galã do rádio catarinense.</P>
<P>&nbsp;Walter Souza, Souza Miranda, Salomão Ribas Júnior e Fenelon Damiani, nas suas respectivas funções.</P>
<P>Quanto a Rádio Jurerê: falar com Walter Souza sobre a emissora, pois ele trabalhou na Jurerê por algum tempo. Trabalhavam na direção da emissora: Almiro da Costa Batalha, tendo como coordenadores José Mauro e Maria de Lourdes. Precisamos saber se eles estão ainda vivos.<BR>A rádio pertencia ao Deputado&nbsp; Federal Elias Adaime (PSD). Será que ele também está vivo?</P>
<P>Radio Jornal A Verdade: <BR>Falar com Walter Souza, pois ele participou da equipe de esporte da emissora. Falar com Cacau Menezes. Sobretudo a respeito de sua transmissão esportiva, direto do Maracanã, quando ele tinha apenas 13 anos. Por incrível que pareça esse fato é verdadeiro. <BR>Falar com Souza Miranda. Ele está vivo e também participou desta emissora. Obter informações sobre o programa Mesa Quadrada, comandado por Manoel de Menezes. O programa era muito polêmico.&nbsp; </P>
<P>Radio Santa Catarina<BR>Falar com Jali Meirinho sobre o radiojornalismo da emissora e seu padrão classe A. Falar com Mauro Amorim que apresentava A Música dos Grandes Mestres. Falar com Raul Caldas que apresentava com o Picolé (George Peixoto), Vitral Sonoro. Até mais. Ricardo.</P>

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *