Saúde em 2020

Publicado em: 15/02/2013

Rádio CBN Brasil | MUNDO DIGITAL, com Ethevaldo Siqueira

Milton – Ethevaldo, hoje é sexta-feira, dia de falarmos sobre o futuro. Você prometeu falar sobre os avanços da saúde humana em 2020. Ethevaldo – Vou citar aqui as previsões feitas em palestra recente pelo dr. James Canton, um dos mais famosos visionários dos Estados Unidos, criador do Institute for Global Futures. Segundo esse pesquisador, a humanidade poderá contar, entre outras possibilidades de 2020, com o mapeamento genético antes do nascimento da criança. Esse mapa permitirá que os pais saibam quais as predisposições da saúde do futuro filho. Milton – Que vantagens terá esse conhecimento prévio das predisposições genéticas para a saúde da futura criança?

Ethevaldo – Serão muitas as vantagens, diz James Canton. Com o conhecimento antecipado dessas tendências, a medicina poderá agir com muito maior eficácia e de forma preventiva para evitar doenças, em especial as ligadas a fatores genéticos. O conhecimento do potencial genético pode também ser muito útil para orientar os pais e educadores para o melhor desenvolvimento físico e intelectual das crianças.

Milton – Que outros avanços teremos nessa área da saúde em 2020?

Ethevaldo – Segundo James Canton, teremos a possibilidade de regenerar órgãos preventivamente. Ou até de melhorar seu desempenho no caso de limitações naturais. Com base no conhecimento prévio do DNA e das predisposições genéticas de cada pessoa, a medicina poderá curar ou evitar o desenvolvimento de doenças como diabetes, hemofilia e dezenas de formas de câncer que têm características hereditárias.

Milton – E qual será o progresso possível na área de medicamentos?

Ethevaldo – James Canton prevê um grande salto nessa área, Milton, pois o mapa genético pré-nascimento permitirá também a personalização de medicamentos. Os remédios não se destinarão a curar doenças de qualquer pessoa, mas serão criados ou adaptados para cada indivíduo, em função de seu perfil genético. Você terá um analgésico específico e personalizado para você, Milton, pois seu organismo é diferente do meu e sua dor de cabeça, diferente da minha. Muita coisa que parecia ficção no campo da biônica será realidade no final desta década. Poderemos, por exemplo, implantar chips no cérebro e em outros órgãos, sem falar nas próteses que renovarão ossos, dentes e músculos.

Milton – E quanto à longevidade?

Ethevaldo – O maior objetivo da medicina a partir de 2020, segundo o dr. James Canton, será a melhoria progressiva da qualidade de vida e não apenas a longevidade. É preciso fazer tudo para que vivamos mais e melhor. E, segundo outros futurólogos, mais otimistas, por volta de 2050 idosos com mais de 100 anos ainda poderão jogar futebol. E talvez fazer sucesso no Palmeiras, Milton.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *