Será que é tão difícil fazer uma matéria diferente?

Publicado em: 01/03/2008

Os alunos de radiojornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina estão em polvorosa. A dúvida é: será que eu consigo fazer uma matéria diferente? A minha resposta é a de sempre: consegue.
Por Ricardo Medeiros

A minha proposta no início deste semestre é que os estudantes de Rádio II façam uma matéria entre 2 e 3 minutos que fuja do trivial. Isto é, que vá além do texto do repórter somado a uma ou duas sonoras. Quero mais vida na reportagem. Disse, então, aos alunos, que gostaria que todos enriquecessem o material com sons e ruídos, conforme a situação do que foi coberto.
Já me perguntaram: – Professor, o senhor quer uma matéria como aquelas que a gente vê na televisão?
– Sim, é isso que eu quero-, respondi.
Se os alunos querem ir buscar inspiração na televisão para uma boa matéria em rádio que o façam.
Um outro aluno me disse: – professor o senhor quer uma espécie de radioteatro jornalístico?
– Sim, se esta é a melhor forma de você compreender a proposta.
A vida acadêmica é um espaço de criação e de inovação. Mãos à obra alunada. Quem está executando as matérias especiais sãos os alunos da quinta fase e sexta fase de jornalismo. Acredito que teremos um ótimo resultado.


Turma da sétima fase noturna do curso de Jornalismo
da Faculdade Estácio de Sá de São José/SC

1) Exemplo 1 de matéria com utilização de sons, ruídos:
Matéria sobre movimento do passe livre no transporte coletivo. Para enriquecer a reportagem você pode usar sons de motor de ônibus saindo, estacionando ou parando.  Barulhos de catracas, de cartão eletrônico. Sussurros de pessoas conversando dentro do ônibus ou nas filas. Passos de pessoas subindo no veículo. Quando das passeatas gravar os sons de gritos de palavras de ordem (protestos), vaias, apitaço. Se houver confronto com a polícia, gravar estes movimentos: bombas de efeito moral, insultos, quebra-quebra, pessoas correndo.
2) Exemplo 2 de matéria com utilização de sons, ruídos.
Matéria sobre show musical. Para este assunto, você pode registrar sons de pessoas chegando para o show, gente cantando trechos de músicas das bandas que vão se apresentar. Há o barulho de cambistas vendendo ingressos a preços majorados. Quando do começo do show o público assovia, grita e existem pessoas que choram e até desmaiam. Há brigas muitas vezes também durante o espetáculo. No final do show há um enorme engarrafamento. Isto pode ser registrado igualmente: buzinaço, arrancada de carros, som de motor em ponto morto, xingamentos entre os motoristas. 
3) Exemplo 3 de matéria com utilização de sons, ruídos.
Matéria sobre partida de futebol. O momento é de captar o som de pessoas chegando ao estádio e delas passando pelas catracas. Alguns torcedores já começam a cantar, mesmo antes da partida, os gritos de guerra do seu time do coração. Nos arredores há os vendedores os mais variados possíveis gritando para atrair clientes: vendedor de rádio, de pipoca, churrasquinho de gato, bandeira. Há ainda os guardadores de carros. O jogo começa. Os torcedores incentivam os jogadores e às vezes os xingam. Berram. Há vozes de adultos, mas também de crianças. O time faz um gol: delírio da torcida. É apitaço, é a charanga da torcida que entoa várias músicas. Se o time perdeu? Sobram ofensas para jogadores, técnico e toda diretoria da equipe.


Turma da quinta fase noturna do curso de Jornalismo
da Faculdade Estácio de Sá de São José/SC

E o juiz? É sempre ladrão…Ou filho da fruta. Atenção! Briga entre as torcidas adversárias. Grave este momento: pancadaria, gritaria, choros, sirene da polícia ou ambulância.
 


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *