Só a intimidade do ouvinte com a emissora mantém o rádio vivo

Publicado em: 11/12/2010

O desafio do rádio na disputa da preferência do ouvinte com os demais meios de comunicação é tão óbvio que chega a passar despercebido da maioria dos concessionários e dos profissionais de comunicação. Os requisitos para o sucesso de uma programação são tão simples, evidentes e abundantes que se perdem na poeira dos artificialismos imediatistas que estão matando esse generoso e utilíssimo meio de comunicação que é rádio. Quem manda no rádio é o ouvinte. É na intimidade do ouvinte com sua emissora, programa ou apresentador que está a força do rádio. E o ouvinte, com certeza, é o que menos pesa no custo geral da operação.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *