Posts

Uma palavra de despedida, apenas: loucura

Publicado em: 11/11/2012

Os dias iam engolindo as horas. O tempo, dividido. – A criança vai comigo. – Não. Determinismo tolo. Um homem não age assim. Alguma coisa precisa acontecer. Como? Se o segredo continuar segredo ainda não foi homem integral. O segredo deve desaparecer. Todos têm o direito de saber que ele existe, para evitar problemas no futuro. […]

Uma palavra de despedida, apenas: morrer

Publicado em: 05/08/2012

Parece que foi há um século. Queria morrer. O caminhão da publicidade colorida num eterno pisca-pisca no alto dos prédios… Não podia mais recordar. Definitivamente, chegou ao final. O muro, sim, o muro o separou das rosas e dos espinhos… – Gaze… Tesoura… Clorofórmio… Ele queria tanto descobrir os porquês de tudo… Nunca havia uma […]

Uma palavra de despedida apenas. Ninguém mais se lembra

Publicado em: 10/06/2012

Seguir um caminho sem horizontes seria mais humano que seguir um horizonte de malquerença. Ninguém é tão sacrificado, já disseram, pelo dever, que não possa, de quando em quando, levantar os olhos ou dizer uma frase, em sinal de agradecimento. Mas tudo era encarado como simples obrigação. Fique comigo mais um pouco e deixe que […]

Uma palavra de despedida, apenas

Publicado em: 01/04/2012

Dedico a você que muitas vezes caminhou comigo, não interessa por quais veredas, de dia ou de noite, saciados, com sede ou com fome não interessa do quê, despertos ou sonolentos. Que cantou ou chorou comigo, na hora da chegada ou do adeus mesmo que, ainda, não fosse o definitivo. Que muito tempo depois ainda […]