Tesoura Júnior, um radialista blumenauense que nasceu em Goiás

Publicado em: 19/09/2013

Memória | Museu do Rádio de Santa Catarina | Luize Ribas

Quase ninguém notava quando um discreto rapaz de nome Vitoriano assistia aos treinos de futebol de Blumenau e ficava anotando e colhendo informações muitas vezes exclusivas. Esse tal de Vitoriano, com o sobrenome Cândido da Silva, na verdade eram um importante radialista de um programa futebolístico bastante conhecido na cidade, A Marcha do Esporte. Os jogadores e treinadores não se importavam ou notavam sua presença, pois ninguém conhecia o nome Vitoriano, apenas o apelido: Tesoura Júnior. E essa foi sua intenção ao criar o apelido, ninguém o reconhecer pelo nome próprio – além de tesoura ter uma denotação de furo de reportagem, como ele fazia em seu programa. O apelido era realmente muito conhecido, principalmente pelos técnicos dos times. A opinião de Tesoura Júnior influenciava muito as decisões das direções dos clubes.

Tesoura jogou futebol por alguns clubes da cidade de Blumenau, mas foi como jornalista esportivo que se consagrou. Ele nasceu lá no interior de Goiás, e veio parar no estado catarinense aos 16 anos para participar de uma expedição que o levaria à Paris, como precisava da assinatura do pai para poder ir, Vitoriano que não a tinha acabou ficando pelo estado mesmo. Em 44, Tesoura começou a escrever textos esportivos para a Rádio Clube de Blumenau como voluntário. Dois anos depois, Manoel Pereira Junior o chamou para fazer parte da equipe do A Marcha do Esporte e ele foi contratado pela Clube de Blumenau, emissora na qual trabalhou durante 38 anos, quando se aposentou, em 1984.

A Marcha do Esporte, programa que dava mais destaque para as notícias do futebol da região, conquistou durante seus quase 40 anos de veiculação mais de 90% da audiência do Vale do Itajaí. Lançado em 1943 por Manoel Pereira Júnior  foi primeiro programa esportivo de Santa Catarina. Manoel Pereira comandou o programa até 1954, quando o jornalista José Gonçalves assumiu o cargo durante três anos. Tesoura Júnior, que já fazia parte da equipe do A Marcha do Esporte, tornou-se o editor-chefe com a saída de Gonçalves, em 1957. Com a coordenação dele o programa teve uma maior apuração das notícias, proporcionando muitos furos e também mais audiência. Tesoura Júnior comandou o mais popular dos programas esportivos até 1984, quando se aposentou.

Em 1991, Tesoura Júnior lançou um livro – Memórias de um blumenauense que nasceu em Goiás – em que conta suas memórias e muitos fatos curiosos da profissão e sua vida. No início do ano – em abril de 2013 -, aos 97 anos, Tesoura Júnior deu uma entrevista para o quadro Memórias do Esporte, no Jornal do Meio-Dia de Blumenau, em que fala sobre sua carreira na cidade e seu legado. Você pode conferir a entrevista aqui.

http://ricmais.com.br/sc/esportes/videos/memorias-do-esporte-tesoura-junior-faz-historia-no-radio-esportivo/

Quando Tesoura ainda trabalhava na Rádio Clube, a jornalista Cirley Virgínia Ribeiro o entrevistou para o projeto Museu do Rádio de Santa Catarina. Confira partes dessa entrevista que faz parte dos arquivos do Museu do Rádio. Nela Tesoura Júnior comenta sobre os primeiros anos da Rádio Clube de Blumenau, a receptividade do público e um fato muito curioso que aconteceu na primeira transmissão da Clube de Blumenau de um jogo de futebol.

Texto: Luize Ribas, aluna da 4ª fase do curso de Jornalismo da UFSC e bolsista do projeto de extensão “Museu do Rádio de Santa Catarina”.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *