Titio Mauro

Publicado em: 09/11/2008

João Lotário Bettega ficou famoso no rádio paranaense usando o pseudônimo de Mauro de Alencar. Começou em 1949 como locutor da Rádio Emissora Paranaense. Para desenvolver sua atividade se obrigava a pegar dois ônibus nas manhãs geladas de Curitiba.
O estúdio da emissora  ficava no centro de São José dos Pinhais. Para conseguir chegar ás 7 da manhã pegava o primeiro transporte ás 5 horas, fazia baldeação na divisa dos dois municípios, na ponte do rio Iguaçu. Na rádio de Nagibe Chede ganhou experiência e prestígio. Conheceu, em São José dos Pinhais, Haroldo Andrade, formando uma excelente dupla de bons locutores.

Em 1951 transferiu-se para a Rádio Clube Paranaense, juntamente com Haroldo Andrade. Em 1953, foi para a Bahia trabalhar na Rádio Sociedade, emissora dos Diários e Emissoras Associadas.  Voltou em 57, para se tornar um dos nomes mais importantes do elenco da Rádio Clube Paranaense. Lançou um programa com seu nome, onde apresentava cantores locais e os grandes astros da música nacional.

Exigente e detalhista gostava de sair dos padrões tradicionais inovando nas suas produções. Em seus programas todos os participantes eram obrigados a se apresentar vestidos de terno e gravata. Em algumas ocasiões a exigência era ainda maior. Quando apresentou a cantora Maysa em seu programa de auditório, Mauro de Alencar colocou todo mundo, incluindo os espectadores, em traje a rigor.

Os sábados à noite no auditório da Rádio Clube era um desfile de astros e gente bem vestida. A apresentação de cantores famosos na época foi possível graças a sua habilidade de bom negociador. Fez um acordo com Maurício Sobrinho que apresentava programa semelhante na Rádio Farroupilha de Porto Alegre e Antunes Severo da Rádio Diário da Manhã de Florianópolis. Os artistas eram contratados para apresentações nos três estados. Com  isso os custos de produção ficavam mais baixos.

O programa Mauro de Alencar começava ás 20 horas, logo após “A Hora do Brasil” e era interrompido ás 20h30 horas, durantes 30 minutos para apresentação da novela daquele horário. Retornava com os acordes da Orquestra B-2, formada por músicos da Banda da Aeronáutica e conduzida por Sebastião Lima, num clima de festa e alegria. Como a maioria dos bons profissionais, Mauro de Alencar trocou várias vezes de prefixo, convidado, com grandes vantagens financeiras por emissoras concorrentes.

Trabalhou algum tempo na Rádio Tingüi onde acumulou as funções de locutor animador de auditório e gerente da emissora. Em 1959 foi para Rádio Cultura onde se destacou na equipe de noticiaristas do Grande Jornal Cultura, um dos campeões de audiência da época. Em 1960 com a inauguração do primeiro canal de televisão no Paraná, Mauro de Alencar, virou Titio Mauro, um contador de historias infantis que fez sucesso na telinha da mesma forma como sempre fez no rádio.

Talento, dedicação e versatilidade, características que identificam esse excelente radialista. Animava auditório, apresentava noticiários, debates, entrevistas e para completar o elenco de qualidades, tocava piano com grande desenvoltura.
Em 1968, Mauro de Alencar foi eleito vereador em Curitiba. Desiludido com a política renunciou ao mandato. Nos encontros com amigos e colegas de seu tempo de radialista gosta de afirmar com entusiasmo que do rádio guarda as melhores lembranças de sua vida, onde fez grandes amizades.

Do livro Sintonia Fina

2 respostas
  1. Paul H. Tempel says:

    Conheci o J. L. B. (titio Mauro) na Rádio Cultura do saudoso Abílio H., tive contato com toda equipe técnica e jornalística e escrevi alguns programas que foram apresentados pelos locutores Aníbal Coderine e o Rubens F., entre os escritos era para o programa “A Hora do Caçador e Pescador”, além de entrevistas apresentado no ar pelo Rubens.O Mauro como era conhecido no rádio começou sua carreira no Norte do Brasil, onde era um excelente pianista
    e adotou um nome artístico de “Mauro de Alencar”, quando retornou a Curitiba passou a trabalhar em rádios e televisão mantendo o nome artístico. Foi muito querido entre os colegas, pois era um grande companheirão, eu disse era porque hoje ele vive em outras atividades, gosta muito de camping, viagens, e fazer palestras. Sinto saudades do nosso tempo de companherísmo, chegamos até fazer uma viagem muito longa pelo Brasil levando o nome “Equipe Integração”. Meu eterno amigo João Lotário Bettega “Mauro de Alencar, deixo aqui meu afetuoso abraço.

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *