TV digital deve chegar a mais capitais em 2009

Publicado em: 29/12/2008

A televisão digital surgiu definitivamente no Brasil em 2008 com a promessa de seduzir o telespectador com imagens perfeitas, áudio limpo, interatividade e mobilidade. Doze meses depois de sua implementação, os consumidores ainda têm dúvidas de como tudo funciona na prática.

A interatividade – uma das grandes vantagens do sistema – ainda não está valendo, e nem toda a grade de programação das emissoras tem sido gravada em High Definition. (HD)

A Globo já tem suas três novelas – “A favorita”, “Três irmãs” e “Negócio da China” – em HD, além de outros programas, como “A grande família”, e os eventos esportivos. As Olimpíadas de Pequim, por exemplo, foram as primeiras da história a serem transmitidas em HD.

Mas um dos maiores equívocos do público é confundir transmissão digital com captação em HD. Para entender o processo, basicamente é preciso saber que TV digital pode ser feita de duas maneiras: em High Definition (HD) e em Standard Definition (SD). Ou seja, a alta definição é apenas um dos recursos possibilitados pela TV digital.

Atualmente, menos de dez capitais tem acesso à TV digital, e algumas emissoras prometem estender o serviço a todas até o fim de 2009. Os preços, no entanto, não têm ajudado o telespectador. Para receber efetivamente o sinal digital, é preciso ter um aparelho de televisão preparado para HD ou comprar um conversor – que recebe o digital e o adapta às TVs analógicas.

Assinantes das operadoras de TV fechada, que recebem um bom sinal, mesmo analógico, preferem não gastar para ter a digital. Mas, segundo especialistas, o esforço vale a pena.
– O início de qualquer tecnologia nova exige um tempo de maturação e aprendizado, até mesmo para o consumidor.

Mas o telespectador ganhou muito, passou a ter em casa a mesma qualidade que produzimos no estúdio – diz Fernando Bittencourt, diretor de engenharia da TV Globo, emissora que atualmente transmite digitalmente para Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Goiânia, Curitiba, Porto Alegre, Salvador, Campinas e Cuiabá. – Hoje, mais de 40 milhões de telespectadores da Globo recebem o sinal digital. Em 2009, há a previsão de aumentar para 20 cidades. A adesão à TV digital será um processo natural.

O cronograma estipulado pelo governo está sendo cumprido. As emissoras têm até 2016 para levarem a TV digital aos quatro cantos do Brasil. Não existem números oficiais que comprovem as vendas, mas muitos conversores têm encalhado nas lojas. Segundo Marco Szili, diretor-geral da Tele System, empresa que fabrica conversores, alguns dificultadores fazem com que o público não se empolgue muito com a novidade.

– Os preços dos conversores têm uma variação enorme, de R$ 200 a R$ 1 mil. São gerações e concepções diferentes, fora que depende da política comercial de cada empresa. É preciso ter contato com a alta definição para saber a diferença. Quem nunca viu como é não pode comparar – opina Szili. Frederico Nogueira, vice-presidente da Band, acha que a portabilidade é o grande pulo do gato das transmissões digitais.

Fonte: O Globo Online

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *