Um longo caminho

Publicado em: 08/03/2013

Maria da Penha

Fruto de uma pesquisa de mais de três anos iniciada pelo jornalista Ivaldino Tasca, a obra pretende ser um documento, uma denúncia e um exercício de reflexão sobre a posição feminina desde os primórdios da humanidade até os dias de hoje. Uma verdadeira jornada que começa ainda na Pré-História, como revela a ampla contextualização histórica assinada pelo professor e Secretário Municipal de Cultura José Ernani de Almeida. A viagem segue adiante com uma compilação da presença do tema em religiões, culturas, civilizações e diferentes épocas, e apresenta uma inusitada coleção de frases de alguns dos maiores pensadores de todos os tempos, em pérolas que colaboraram para denegrir a figura da mulher.

Você sabia que os homens judeus agradecem diariamente por não terem nascido mulher? E que o Novo Testamento ordena que as mulheres sejam submissas a seus maridos? Que na Índia as viúvas eram queimadas junto com os parceiros? Que na África meninas ainda passam pela prática da mutilação genital? E que pensadores tão admiráveis quanto Kant, Chaplin, Wilde, Nietzsche e tantos outros, já disseram que não admiravam as mulheres e que elas não serviam para o raciocínio? O cenário até aqui é absurdo e desolador, mas a reação não demora a chegar.

Na segunda metade do livro, uma cronologia do movimento feminista relembra momentos importantes dessa trajetória, trazendo ainda uma série de documentos internacionais e um apanhado de dados atuais sobre a violência contra a mulher. A reação da sociedade brasileira ganha destaque com uma detalhada exposição sobre a Lei Maria da Penha, símbolo da luta pela igualdade. O tema chega finalmente a Passo Fundo através do conhecimento e das experiências de três mulheres que lidam com o tema em seu dia-a-dia. A primeira delas é a advogada Josiane Petry Faria, coordenadora do Projur Mulher UPF, um programa de assistência jurídica a vítimas de violência doméstica. Mariane Loch Sbeghen, professora e arteterapeuta, revela um pouco dos sentimentos dessas vítimas relatando a oficina de arteterapia realizada na Casa de Mulher. Por fim, a delegada Claudia Rocha Crusius apresenta o cotidiano da Delegacia de Polícia Especializada no Atendimento à Mulher de Passo Fundo, a DEAM.

O lançamento do livro “É pensando nos homens que eu perdoo aos tigres as garras que dilaceram” aproveita as comemorações pelo Dia Internacional da Mulher e acontece neste dia oito de março, com sessão de autógrafos na Livraria Nobel, em Passo Fundo/RS e uma série de atividades paralelas ao longo do mês.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *