Freqüência Urbana. A Lenda da Galinha… (3)

Publicado em: 11/07/2008

E a odisséia continua. Depois dos embalos da queda aeronáutica, entre mortos, feridos e perdidos alguns se salvaram e outros não. Vem, então o segundo e não menos fulminante capítulo.

Com a palavra a narradora oficial das desventuras galináceas, Raquel Vandelli. Com um humor inteligente e a mais fina irreverência que não se adquire em academias anacrônicas, o Freqüência se aproxima de TV Pirata, Casseta Popular e tem rompantes de Faustão – “esta gente que você não vê faz o rádio pra você correr” ou “graças a Deus estamos chegando ao fim do programa”. Seus quadros e personagens já viraram assunto em mesas de bares. Retorno comercial que é bom, contudo, ainda nada…

– Tudo bem, estamos investindo, enquanto o dono da rádio tiver paciência… adenda Flávio Girol, que durante o dia é gerente do Banco Sudameris e à noite, após o expediente, afrouxa a gravata para se transformar em um humorado locutor, com direito, inclusive, a soltar palavrões.

A proposta de um horário cômico, elaborado por Hamilton Lyra e Adir Mazzuco, enquanto trabalhavam em uma agência de publicidade, foi descartada de cara pela Musical FM. “Mas a União adotou a gente”, alegra-se Max. Toda a equipe participa das gravações “por amor ao humor”: ninguém recebe cachê. Todos trabalham para sobreviver “nas horas vagas”, diz “Ameba”, Joaquim Lopes Corrêa Neto, que tem um nome de diplomata, segundo os colegas. Só “Montanha” Mário César, já trabalhou em rádio como locutor e a única ligação que tinha com humor antes do “Freqüência” era o prazer de ouvir e contar piadas em rodas de amigos.

Embora gravado, o programa tem um clima de improviso. E de festa. “Pra gente vir ao estúdio gravar depois de um dia de neuroses é uma verdadeira terapia, uma catarse”, analisa Silvana Piazza, funcionária pública, que encarna a conselheira amorosa Beth Bliz, do quadro “Corações Solitários”. Ela e Ana Cristina, estudante universitária e comerciante, fazem as vozes femininas.

E agora atenção, senhoras e senhores passageiros, por que lá vem chumbo. Eis mais um único e exclusivo capítulo inédito desta emocionante novela a Lenda da Galinha Mamífera.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *