Uma palavra de despedida, apenas: fraco

Publicado em: 28/10/2012

Ninguém veio além do inferno das incertezas vivas e palpáveis. Implorei até para que tudo voltasse ao que era antes, mas só em pensar naqueles que sofriam privações devido a isso, a alma se contorcia. O inferno em sua mente…? Claro! Esperança, ainda, na alma. Mas as portas se fecham… As vozes desconhecidas a dizer coisas desconexas, que não ajudam. De onde virão essas vozes? Do céu? Do inferno? – Por que aconteceu assim, você pergunta? Talvez você o saiba. Uma angústia de séculos morando dentro de mim… Heróis e crápulas vivendo dentro de mim… Em todas as minhas vidas anteriores, lutando pela supremacia total. A compreensão dos milhares de faltas acumuladas no correr dos séculos. Não sabia o que procurava.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *