ZYK-9! Aqui Rádio Difusora Itajaí – 06

Publicado em: 23/09/2007

Cada integrante da equipe é igualmente responsável pelo resultado final do trabalho. Este é o lema geral. Toda e qualquer atividade, independente do seu nível de especialização ou status é vital para se alcançar os objetivos coletivos propostos. Em síntese este foi o recado. E como funcionou!O que mais importa no que se faz é a atitude com que se faz. Embora cheirando à filosofia de pára-choque de caminhão esse era meu eixo de raciocínio. Então, cheguei à conclusão inspiradora de que o fundamental é mostrar fazendo. E completei para concluir as etapas elocubratórias: o que mais importa é o que vamos fazer com nossa experiência e o que menos importa é o tamanho ou a especialidade dessa experiência.

Apesar do aparato com que apresento estas idéias, a base é simples:

– A dona Jandira sabe fazer cafezinho e limpar banheiro melhor do que eu.

O passo seguinte foi recrutar a equipe entre o pessoal que já fazia parte da emissora e os ex-colegas que trabalhavam em Florianópolis. Da casa, ao que lembro agora permaneceram o pioneiro Dagoberto Nogueira e os locutores Olindor Camargo, Ilda Souza, Irene Boemmer, Gilberto Pereira, Aldemar Veiga, o jornalista José Tolentino da Silva, noticiarista Edison Silveira, os discotecários Dalton Machado e Edna Santos, os operadores de áudio José Balhu de Souza, Décio Nogueira e Marino Lopes, entre outros. Mais o Dirceu Nogueira e o Manoel Corrêa, responsáveis pela administração e comercialização.

A este núcleo foram se juntando no decorrer do tempo nomes conhecidos como Humberto Fernandes Mendonça, Lauro Soncini, Odemar Costa, Odery Ramos, Iran Manfredo Nunes, Pedro Washington de Almeida, João Carlos Bittencourt, René Reynaldo, João Benjamim da Cruz Júnior e Luciano Corbetta.

A programação musical estava a cargo do pianista Nenê e seu conjunto e a técnica, vale relembrar, continuava comandada pelo veterano Adolfo de Oliveira Júnior.

A questão seguinte era encontrar uma estratégia de impacto para referendar a mudança que todos esperavam. O reinício de funcionamento da ZYK-9 era assunto obrigatório nos encontros de amigos e colegas de trabalho. Uns muito entusiasmados, outros pagando pra ver e mais aqueles que não acreditavam mesmo ou simplesmente ignoravam. A maioria, porém, fervia de curiosidade.

Foi aí que um detalhe da minha experiência anterior contribuiu para a solução. Por gostar muito de rádio, desde que me entendi por gente, vivia piruando o que acontecia em outros países. Uma coisa que notei é que quanto mais distante eu estivesse da emissora sintonizada, quando eu escrevia na condição de ouvinte mais atenção recebia em forma de resposta, elogios e brindes.

Nesse momento a ficha caiu: Itajaí é uma pequena cidade, de um pequeno estado, na região Sul de um país que apesar de grande é geralmente confundido com outras nações da América do Sul. Decidi. Vamos fazer duas campanhas. Uma premiando os ouvintes mais distantes e a outra reproduzindo mensagens de saudação de colegas que trabalhavam no exterior em emissoras com as quais eu me correspondia. Pois, a final, Itajaí não era a “porta de Santa Catarina para o mundo”? Até a próxima semana.

Depoimentos:

Lembro bem, que nos anos 60, aos domingos, pela manhã, das 10h00 às 12h00 o CLUBE MIRIM DA DIFUSORA, programa de auditório, era transmitido ao vivo para a cidade e região. Era uma festa só !!! Existiu Pedro Menezes (Engenheiro Civil, já falecido) que imitava Rita Pavone, sucesso na época! Teve as Irmãs DEOLA, Cleusa e Lindinalva. Cleusa vivendo hoje em Blumenau, advogando e sua irmã, em Itajaí, como artista plástica reconhecida nacionalmente! Boas lembranças! Aos sábados, à noite, das 19h00 às 20h00, teve ao vivo na Difusora, Programa da UESI (União dos Estudantes Secundários de Itajaí) Líder em audiência! Era apresentado por Antonio Carlos de Campos e Silva, Flávio Wolff e Valdir João da Silva. Continuam todos em Itajaí. Empresários bem sucedidos! São lembranças de tempos de harmonia, alegria ! Éramos felizes e sabíamos!!! Flávio Wolff.

Anos 60! Exatamente 1961. Aos domingos, à noite, existiu um programa que tocava músicas clássicas. Um espetáculo! Nos intervalos comerciais, tinha um que o locutor falava exatamente assim: “… uma ponta de cigarro jogada inadvertidamente num cesto de papel, pode causar a destruição daquilo que você levou anos para construir. Faça seguro! PÁTRIA Cia. Brasileira de Seguros Gerais. Rua Dr. Pedro Ferreira, 100 – Itajaí SC”. Está gravado em minha mente! Destino: anos mais à frente comecei minhas atividades securitárias, nesta Seguradora. Vivo até hoje dentro da área. Tenho minha Corretora de Seguros, aprendendo e ensinando todos os dias! Forte abraço!
Wolff.

Antunes: lembrar que o Henrique Lobo – Bandeirantes – São Paulo ouviu a Difusora. Como não dava para levar a Rádio para São Paulo levou quatro dos profissionais da Casa. pedrowashington
 


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *