A Fonte está Secando!

Publicado em: 14/06/2013

Há muito tempo venho escrevendo sobre o que está por ocorrer no futebol brasileiro. Parece que agora os clubes começam a acordar para uma realidade que vai se cristalizando a cada dia.

Estou cansando de alertar sobre a qualidade do futebol atual, os altos salários, o envolvimento de empresários que tiraram os jogadores dos clubes e tudo o que você já está cansado de saber.

Muitos clubes devendo até o fio do cabelo sem encontrar uma solução. Outros sem se preocupar com o que devem aumentam suas dívidas.

Hoje o dinheiro injetado pela televisão e pelas publicidades nas camisas ainda “mascara” a realidade em parte. Já tem clube com o “alerta vermelho” ligado buscando sócios através das mais diferentes campanhas.

Há décadas quando a televisão não tinha os direitos para mostrar as partidas os clubes tinham milhares de associados. Cito dois exemplos: Portuguesa de Desportos e Juventus em São Paulo que chegaram a mais de 100 mil associados. Por pagarem altos salários, por terem público e rendas cada vez menores, por dependerem das verbas da televisão e das publicidades muitos clubes lançaram a campanha do sócio.

Entendem que trazendo para dentro do clube algumas dezenas de milhares de torcedores a situação pode mudar. Pode em parte. A televisão com seus horários absurdos tirou o torcedor do estádio para assistir os jogos em casa. Os estádios tiveram sua capacidade diminuída por exigências diversas e com o ciclo que o futebol brasileiro atravessa a presença do torcedor é muito pequena. E a situação poderá ficar ainda pior a partir de resultados negativos na Copa do Mundo.

Nem falo na Copa das Confederações que é um torneio meia boca. Que os clubes tragam de volta seus torcedores como sócios e aos estádios, que não se pague mais as fortunas aos treinadores e atletas pode ser o começo para a reabilitação dos clubes e do futebol brasileiro. Que aos poucos os clubes não permitam mais a interferência dos empresários. Isso virou um cancro no futebol. É isso aí.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *