Carta à Acy Cabral Teive

Publicado em: 20/06/2004

O Acy é um dos principais personagens desta história, mas está relutante em se envolver com os seus desdobramentos. Temos que respeitar suas razões, mas nós precisamos incluí-lo nesta narrativa. Por isso, Ricardo, começamos com esta simples carta.Florianópolis, 14 de setembro de 2003
Caro Acy:
Acompanho desde 1956, quando aqui cheguei, o seu trabalho no rádio da Capital.
Conheço sua contribuição para o estudo do rádio em Florianópolis. Conheço algumas das mais de 40 entrevistas que você concedeu para estudiosos e pesquisadores deste tema. Sei também dos transtornos que uma entrevista como esta pode causar para você e sua família. Mas, tudo isto faz parte da nossa vida de trabalhadores no rádio.
Por isso, desde já quero deixar registrado o meu agradecimento ao Dr. Marcelo pelo carinho com que me ouviu ao telefone quando eu precisava de uma informação sobre o início do Serviço de Alto-falantes Guarujá. Também sou muito grato à senhora dona Amélia por me haver escutado ao telefone quando liguei para falar sobre esta entrevista.
Sua palavra para nós, que chagamos depois, é muito importante. De todos os profissionais que trabalharam no rádio em Florianópolis, você é o único e verdadeiro testemunha ocular de toda a história dos 60 anos do Rádio em Florianópolis.
Ninguém como você, viu e viveu esse filme de ponta a ponta. E agora, pela primeira vez, eu e o Ricardo Medeiros, queremos descrever esse filme para esta platéia contaminada pelas novas tecnologias. Por isso, precisamos de você. Por isso contamos com você.
– A carta foi entregue juntamente com um questionário de mais de 50 perguntas.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *