Cidade de São Paulo carece de uma rádio que lhe dê cobertura

Publicado em: 16/03/2009

Nesses tempos de pouca criatividade, o segmento dia-a-dia paulistano está dando moleza. São Paulo é a terceira maior cidade do mundo com uma população superior a 10 milhões de pessoas.

Terceira maior cidade italiana do mundo… Terceira maior cidade libanesa fora do Líbano. Maior cidade japonesa fora do Japão e maior cidade portuguesa fora de Portugal.

Eis outros registros da grandeza da cidade de São Paulo:
* Maior frota de jatos particulares do mundo: 830 aviões (passou Nova Iorque)
* Maior frota (484) de helicópteros do mundo
* Maior revendedora Ferrari do mundo (superou Los Angeles) e
* 2ª maior revendedora de Porsche
* 2ª maior revendedora de Lamborghini
* 4ª maior revendedora de Maserati
* Única cidade da América Latina que vende Rolls Bentley
* Seis Bugati Veyron circulam em São Paulo (cada um custa 1 milhão e 600 mil reais)
* Única cidade com quatro lojas Tiffany’s de jóias
* Louis Vuitton que mais lucra no mundo
* Filial Mont Blanc que mais vende fora da Suíça
* Mais de 30 shoppings
* 10 compras por segundo
* 500 mil pessoas passam pela Rua 25 de Março todo dia
* 60% dos milionários do Brasil vivem em São Paulo
* 80 mil paulistas têm residência na Europa e EUA
* Maior realizadora de eventos: 70 mil por ano
* 120 teatros
* 71 museus
* 11 centros culturais
* Taxa de Alfabetização é de 95,4%

São Paulo, macrometrópole de gigantescas dimensões, onde convive gente “oriundi” de muitas partes do mundo, geradora de matérias para sustentar a programação de uma rádio, ou mais… (http://marcosfmatos.blog.uol.com.br/images/SaoPaulo_jpg.jpg)

Se a cidade de São Paulo fosse um Estado seria o segundo do Brasil, maior do que o Rio de Janeiro e bem superior a Minas Gerais. Se a cidade de São Paulo fosse um país, ocuparia a 5ª posição da América do Sul, empatando com o Chile e cinco vezes acima do Uruguai.

Seu trânsito caótico é um dos mais agitados do mundo. Em fevereiro deste ano de 2009, às 19h30 do dia seis, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de São Paulo registrou o maior índice de congestionamento do ano: 172 km. Segundo a CET, o número significa que havia lentidão em 20,6% dos 835 km de vias monitoradas. O recorde anterior era do dia 26 de janeiro, quando foram registrados 156 km. Haja paciência (o rádio ajuda a passar o tempo nas grandes avenidas).

E em filas quilométricas? As filas do desemprego, da compra de ingressos (recentemente dos shows de Madona) e dos clássicos do futebol batem recordes de pessoas, sem falar que nos fins de semana há muitas filas para comer nos famosos pontos gastronômicos da cidade, cujos chefes de cozinha ostentam know how cinco estrelas comparável ao dos chefs de cuisine globais.

Por tudo isso e muito mais, a espetacular São Paulo assusta os que aqui chegam pela primeira vez. Seu tamanho e características de vida são grandiosos e se equiparam aos das maiores metrópoles do planeta.
Um dos grandes bairros da capital de São Paulo, Grajaú, que fica na zona Sul, tem mais de 500 mil habitantes.

São Paulo conta com 63 estações de rádio (*): 35 emissoras que transmitem em FM, Frequência Modulada e 28 emissoras que transmitem em AM, Amplitude Modulada. Inquestionavelmente, a capital paulistana é também um dos maiores centros radiofônicos do mundo.

Mas, nessa imensa quantidade de emissoras, não há uma só rádio voltada para as coisas e fatos da paulicéia (as principais rádios fazem jornalismo dirigido para o Brasil). Realmente, é incrível. O volume de notícias ocorridas diariamente aqui dá para sustentar muitas horas de programação.

Na minha rápida passagem pela direção da Rádio Capital (**) – carrego nos ombros o fardo de ter feito a mudança de seus estúdios da Avenida 9 de Julho/Jardins para a Bernardino de Campos/Paraíso, uma desgastante tarefa – ensaiei um esquema de reportagem dando cobertura aos acontecimentos da grande São Paulo.

A inovação empregava cinco repórteres em cada um dos três turnos, da manhã, tarde e noite: repórteres Centro, Zona Sul, Zona Norte, Zona Oeste, Zona Leste. E, no Capital Informa, de hora em hora, esses cinco repórteres entravam com as principais notícias de cada área.

A par dessa movimentação, foi disponibilizado um número de telefone para denúncias e pedidos do povo aos poderes constituídos, os quais eram acompanhados por esses repórteres. Essa prestação de serviços obteve grande aceitação, chegando a registrar mais de 100 ligações de ouvintes por dia.

Com minha demissão, o esquema de reportagem citado, embrião para ampliação do setor radiojornalismo da emissora, foi abortado (só ficou quatro meses no ar) sem tempo para consolidar ou não essa ideia de cobertura jornalística local. O projeto previa até o lançamento de cinco sub-sedes da Rádio Capital nas quatro zonas e no Centro da Capital. Além da reportagem permanente nessas sub-sedes, os ouvintes poderiam interagir com os comunicadores da rádio.

O modelo está aí para ser testado em São Paulo ou em outra grande capital do país. Principalmente agora, quando tanto se fala de radiocomunidade e de novos projetos que possam alavancar maior audiência e melhor faturamento.

Sobre audiência, os radiodifusores e o IBOPE precisam encontrar urgentemente diferentes caminhos para a medição de audiência do rádio. Do jeito que as pesquisas estão sendo feitas – os números mostram – já, já vai haver “deflação” de público-ouvinte.

(*) Emissoras de FM (35) de São Paulo
*   88,1 – Gazeta
*   89,1 – 89 FM
*   89,7 – Nova Brasil
*   90,5 – CBN
*   90,9 – Bandeirantes
*   91,3 – Nossa Rádio
*   92,1 – Sul América Trânsito
*   92,9 – Eldorado
*   93,7 – USP
*   94,1 – Oi
*   94,7 – Antena 1
*   95,3 – Nativa
*   95,7 – Mundial
*   96,1 – Band FM
*   96,5 – Vida
*   96,9 – Bandnews FM
*   97,3 – Deus é o amor
*   97,7 – Energia 97
*   98,1 – Terra
*   98,5 – Metropolitana
*   99,3 – Rede Aleluia
* 100,1 – Transamérica Pop
* 100,9 – Jovem Pan 2
* 101,7 – Alpha FM
* 102,1 – Kiss FM
* 102,5 – Imprensa
* 103,3 – Cultura
* 104,1 – Tupi
* 104,7 – Transcontinental
* 105,1 – 105
* 105,7 – Musical (Evangélica)
* 106,3 – Mix FM
* 106,9 – Expressão
* 107,3 – 107
* 107,9 – Tropical

Emissoras (28) AM de São Paulo:
*  560 KHz AM – Paulista
*  620 KHz AM – Jovem Pan
*  660 KHz AM – Mundial AM
*  700 KHz AM – Eldorado
*  740 KHz AM – Trianon (antiga Rádio Clube de Santo André)
*  840 KHz AM – Bandeirantes
*  890 KHz AM – Gazeta
*  920 KHz AM – Nacional Gospel
*  960 KHz AM – São Paulo
* 1000 KHz AM – Record
* 1040 KHz AM – Capital
* 1070 KHz AM – Metropolitana (Mogi das Cruzes)
* 1100 KHz AM – Globo
* 1150 KHz AM – Tupi
* 1200 KHz AM – Cultura
* 1230 KHz AM – LBV (antiga Rádio Atual AM)
* 1260 KHz AM – Morada do Sol (antiga Rádio Mulher)
* 1300 KHz AM – Universo (antiga Diário do Grande ABC AM)
* 1330 KHz AM – Terra
* 1370 KHz AM – Cidade
* 1410 KHz AM – América (Rede Canção Nova de Rádio)
* 1450 KHz AM – Boa Nova (Guarulhos) (Rede Espírita)
* 1490 KHz AM – Imaculada Conceição (antiga Rádio Mauá)
* 1500 KHz AM – Cumbica
* 1520 KHz AM – Tupi (Mogi das Cruzes) (antiga Rádio Diário de Mogi)
* 1540 KHz AM – Nova Difusora
* 1570 KHz AM – ABC
* 1600 KHz AM – 9 de Julho

(**) Lamentavelmente, minha estada na Rádio Capital foi de curta duração, com toda atenção e esforços dirigidos na mudança de endereço de seus estúdios. O curto tempo não permitiu grandes alterações na programação, a qual durante minha gestão ficou 100% livre de horários terceirizados.
Quando assumi sua direção, encontrei no ar uma verdadeira feira-livre de programas feitos por terceiros. Fiz uma grande limpeza, que, depois da minha saída, permitiu uma fácil reformulação da programação.

FINAL, DOIS PONTOS:
1. Parabéns ao GPR, Grupo Profissionais do Rádio, que acaba de divulgar os vencedores das 11 categorias do 10º Prêmio Criatividade em Rádio e
2. Um abraço apertado em Vera Lucia Correia da Silva, incansável secretária-executiva daquela associação e mola propulsora dessa importante realização. As campanhas vencedoras ganharam inscrição no próximo Festival de Cannes.

4 respostas
  1. J.Pimentel says:

    Fui um dos esperançosos candidatos a trabalhar na Nova Rádio Capital, com Jair Brito. Mas não me surpreendi com sua rápida demissão. O projeto era moderno, inovador, atrevido, que implicava em custos iniciais significativos, investimento de médio e longo prazos, inviável para a mentalidade de seus donos. Preferiram o caminho fácil dos programas básicos já consagrados, sem qualquer visão de futuro.Substituiram um inovador criativo por um superintendente “samba de uma nota só”, incapaz de criar uma única nova idéia para o rádio. O espaço ainda continua lá para ser explorado,até que surja um empresário visionário que invista na idéia. Certa vez tentei vender algo muito próximo disso para um grupo de anunciantes e depois colocar numa emissora AM que se dispusesse a ceder seu espaço. Já havia feito contatos com diversas associações do centro e bairros, possiveis apresentadores e jornalistas e cai de cabeça nas agências e anunciantes. Os anunciantes achavam caro investir numa ídeia. Pediam para que eu colocasse a rádio no ar e quando os resultados de audiência surgissem eles entrariam… Ai é mole…rs… Mas não se importe, Jair. Sua demissão daquela rádio e a programação atual que ela apresenta são elogios à sua incontestável capacidade.

  2. nagib says:

    caro jair
    qdo eu morava em s paulo, a capital tinha emissoras no rio (hoje evangélica), juiz de fora e brasília.
    elas ainda pertencem à capital /sp? (na época o dono era o mesmo da fmu – anos 80.
    abs
    nagib

    me deve uma resposta s/ o ônibus da copa / sei q depende de outra pessoa.

  3. Michel LOpes Kill says:

    SUA LISTA DE EMISSORAS DE FM EM SP CAPITAL ESTA DESATUALIZADA. CADE POR EXEMPLO A MITSUBICHI FM ?

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *